6 de setembro de 2017

Homem residente nas Regalheiras morto com uma facada em Itália por negar cigarro



CRIME


Um homem de 58 anos, natural de Ferreira-a-Nova mas residente em Regalheiras de Lavos, foi morto na noite de sexta-feira, com um golpe numa virilha disferido por um colega de trabalho. 

Segundo foi possível apurar Joaquim Moio, era casado e pai de três filhos já adultos, tinha 58 anos, e durante alguns anos esteve emigrado na Suiça, encontrava-se actualmente a trabalhar para uma empresa de construção civil na Tocha, a qual estava a construir um forno industrial na cidade italiana de Verona.

Alegadamente Sérgio Lourenço, de 37 anos, assassinou o compatriota com um único golpe na virilha, eram setes os operários portugueses da empresa da Tocha que se encontravam a trabalhar em Verona, ficando todos eles alojados numa pensão.

No final do dia de trabalho na passada sexta-feira, enquanto alguns cozinhavam e outros tomavam banho, Sérgio Lourenço, pediu um cigarro a Joaquim Moio que o negou, originando assim uma discussão entre os dois, a qual evoluiu para uma luta. Durante a luta, Joaquim acabou por ser golpeado na zona da virilha com uma faca, e alegadamente sofreu um corte na artéria.

O homicida já se encontra preso, e nega a intencionalidade do crime, explica que a faca era da vítima e que a morte foi acidental durante a luta.

3 comentários:

Copyright © fozaominuto