17 de janeiro de 2018

Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN) reúne-se na Figueira da Foz




SAÚDE

Especialistas em distúrbios minerais ósseos em doentes renais crónicos vão reunir-se no próximo dia 27 de Janeiro no Hotel Eurostars Oasis Plaza, na Figueira da Foz.


O encontro vai reunir vários especialistas nacionais para abordar as mais recentes inovações e problemáticas relacionadas com os distúrbios minerais ósseos em doentes renais crónicos. Serão discutidos temas como “Quais os desafios do novo calcimimético?”, “Tratamento da osteodistrofia renal em pré-diálise”, “O papel dos micro-rnas nos distúrbios do metabolismo mineral e ósseo”, “Doença óssea metabólica após transplantação renal”, entre outros. 
Consulte aqui o programa científico. Para fazer a sua inscrição, aceda a esta ligação

Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz quer ser "época alta" fora do verão





BUARCOS



O Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz, cuja edição de 2018 foi hoje apresentada, quer que o evento seja "uma época alta" do concelho para reproduzir na economia local o investimento realizado, disse fonte da associação promotora.


"Defendemos que o investimento realizado no Carnaval seja multiplicado várias vezes no nosso tecido económico, incentivando os turistas a permanecerem vários dias no nosso concelho, conhecerem a nossa riqueza cultural e gastronómica e a pensarem na Figueira da Foz como destino das próximas férias", disse José Gouveia, presidente da direcção da Associação do Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz (ACBFF).

Organizada pelo terceiro ano consecutivo pela ACBFF, em parceria com a autarquia local, a edição de 2018 tem como reis o cantor e produtor musical Sérgio Rossi - irmão de Romana, rainha da edição de 2017 - e Lúcia Costa, 38 anos, uma auxiliar de ação educativa, natural de Buarcos, "participante no Carnaval desde que se lembra de ser gente" e que foi eleita por uma votação popular "que mobilizou centenas de pessoas ao longo de meses".José Gouveia adiantou que a associação a que preside quer manter "uma festa que é do povo figueirense, mas engrandecê-la de forma a atrair visitantes para umas mini-férias" ou simplesmente para assistirem aos corsos - agendados para 11 e 13 de Fevereiro - "e conhecerem uma cidade única repleta de pessoas igualmente únicas na arte de bem receber".

Com um orçamento previsto de 110 mil euros, a ACBFF sustenta, em nota de imprensa, que "mantém o foco na estabilidade financeira, mas sobretudo no crescimento sustentado" do carnaval de Buarcos/Figueira da Foz e que, desse modo, 2018 "será novamente um ano de forte contenção de custos"."Apesar do Carnaval 2017 ter terminado com um saldo positivo, houve um grande investimento por parte da ACBFF na organização do Carnaval de Verão (Sambão) que revelou ser uma mais-valia para o concelho", argumenta.A associação lembra que os custos relacionados com o policiamento do recinto da avenida do Brasil, fronteira à praia, bem como outros ligados a licenças não camarárias, como os direitos de autor e Passmúsica, representam "uma fatia importante e bastante pesada" do orçamento do evento."No nosso entender, são custos desadequados a um evento sem fins lucrativos, pelo que iremos sempre questionar a sua aplicação", afirmou José Gouveia.

Como novidades da edição 2018, a ACBFF aponta a participação nos corsos carnavalescos de duas colectividades da freguesia de Vila Verde (Grupo Recreativo Vilaverdense e Sociedade Instrução e Recreio de Lares), um desafio que começou em 2017, aquando da integração nos desfiles de elementos do Grupo Instrução e Sport da Praia de Buarcos."A inclusão de colectividades é uma aposta garantida para aumentar a qualidade do nosso Carnaval. Temos um concelho rico em colectividades, com milhares de sócios, e como tal é nosso objectivo continuar a acolher novas colectividades todos os anos, apesar do aumento do esforço financeiro que isso representa", frisou José Gouveia.

Para além dos dois desfiles de 11 e 13 de Fevereiro, que contarão com cerca de mil participantes - distribuídos por três grupos carnavalescos, os grupos das três colectividades concelhias e outras três escolas de samba - oito carros alegóricos e um camião com um trio eléctrico e aula de zumba ao vivo, o programa do Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz arranca a 27 de Janeiro, no palco do Grupo Caras Direitas, com a apresentação do samba-enredo das escolas A Rainha, Unidos do Mato Grosso e Novo Império.A 04 de Fevereiro decorre a chegada dos Reis à estação de comboios da Figueira da Foz, seguida de desfile até Buarcos, com paragem na Câmara Municipal, onde as altezas carnavalescas serão recebidas pelo presidente da autarquia, João Ataíde. 

A 09 de Fevereiro decorre o Carnaval Infantil Solidário, com a participação de cerca de dois mil alunos das escolas do concelho.Sob o lema "Nesta folia não há barriga vazia", a organização apela à doação de bens alimentares por parte de pais, educadores e alunos, que serão depois entregues a instituições sociais do município.

A 10 de Fevereiro, sábado, na véspera do primeiro corso carnavalesco, realiza-se o desfile noturno das escolas de samba, "espectáculo onde normalmente não faltam iluminações especiais e alguns adereços adicionais", assinala a ACBFF.

O Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz volta em 2018 a apelar aos sectores da hotelaria e restauração para que criem 'packs' especiais de alojamento e ementas durante o evento e anuncia para breve a apresentação das Ementas de Carnaval, em parceria com a Associação Figueira com Sabor a Mar.

A associação promotora destaca ainda o apoio da Câmara Municipal da Figueira da Foz, "que assume um papel preponderante na organização", seja pelo apoio financeiro protocolado e isenção de taxas, seja pela disponibilização de logística e meios humanos, "que asseguram a eficaz realização" do evento.


Fonte: DN

Luz LED ao fundo do túnel para GD Cova-Gala



DESPORTO


O Grupo Desportivo Cova-Gala poderá vir a receber um sistema de iluminação LED, está neste momento a ser equacionada essa possibilidade por parte do município figueirense.


O GD Cova-Gala, recebeu ontem nas suas instalações, o Engenheiro José Andrade, da Câmara Municipal da Figueira da Foz, numa reunião cuja temática, se centrava essencialmente sobre a iluminação do clube covagalense, e para a qual se irá seguir um estudo sobre a hipótese de colocar um sistema de iluminação LED, substituindo o actual sistema que é mais dispendioso.

Ficando assim a colectividade da freguesia de São Pedro, aguardar por "luz verde", por parte das entidades envolvidas. Também na reunião, foram debatidas outras questões ligadas à electricidade do clube e à sua segurança.

16 de janeiro de 2018

Ciclovia com 83 quilómetros vai ligar Cantanhede, Figueira da Foz e Mira


FIGUEIRA


Projecto de 1,2 milhões de euros é comparticipado por fundos comunitários no âmbito da rede europeia de ciclovias Eurovelo. 

Cantanhede, Figueira da Foz e Mira vão ser ligados por uma nova ecopista, investimento de 1,2 milhões de euros comparticipados por fundos comunitários no âmbito da rede europeia de ciclovias Eurovelo. 

O projecto foi apresentado ontem, em Mira, no final de uma reunião que juntou os presidentes dos três municípios e ainda representantes das Comunidades Intermunicipais de Aveiro, Coimbra e Leiria, do Turismo de Portugal, Turismo Centro e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro.

Segundo o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, João Ataíde, a nova ecopista terá uma extensão a rondar os 83 quilómetros e irá ser integrada na rota Eurovelo 1, da rede europeia de ciclovias, projecto da Federação Europeia de Ciclistas que pretende construir 70.000 quilómetros de ciclovias divididos em 14 rotas que irão interligar 42 países em todo o continente europeu. 

Com o apoio do Turismo de Portugal, os três municípios apresentaram uma candidatura aos fundos do programa Valorizar, no âmbito do Portugal 2020, visando um financiamento de 85 por cento dos custos totais do projecto. 

“O percurso estende-se ao longo da costa atlântica entre o limite norte do município de Mira e o limite sul do município da Figueira da Foz, atravessando Cantanhede na zona da Tocha”, revela Helena Teodósio, presente da Câmara de Cantanhede, autarquia que está a investir numa rede urbana de trilhos cicláveis. A nova ciclovia, um misto de asfalto e terra batida, seguirá junto à linha de costa, através da Mata Nacional e do estuário do Mondego, devendo ligar a sul da Figueira com a ecopista em asfalto do Atlântico, que termina na Nazaré. 

O ponto mais delicado da nova ciclovia será a travessia do rio Mondego, estando prevista a construção de uma pequena ponte no estuário, orçamentada em mais de 200 mil euros. João Ataíde revela que foi discutido com representantes da Comunidade Inter-municipal de Aveiro o prolongamento da ciclovia para o norte, pelo litoral, até à praia de Esmoriz. 

O presidente da Câmara de Mira, Raul Almeida, garante que a nova ecopista “irá potenciar as características naturais únicas deste território da costa atlântica”, funcionando como mais um factor de atracão para os visitantes. “A ciclovia não se esgota apenas no traçado por uma das regiões mais bonitas do país. 

É preciso criar condições ao nível de alojamento, restauração, informação, para que a experiência seja enriquecedora para todos”, refere o autarca. A rede Europeia de Ciclovias integra actualmente 15 rotas cicláveis de longa distância que cruzam todo o continente. 

As rotas são usadas por ciclistas que percorrem longos cursos e também pela população local, nas suas deslocações diárias, tendo em algumas zonas uma forte componente turística. Segundo dados divulgados pela Federação Europeia de Ciclistas, “estima-se que cada ano se realizem 2.300 milhões de viagens de bicicleta, representando um valor superior a 44 milhões de euros, segundo um estudo de 2012 encomendado pelo Parlamento Europeu”.

Fonte: In Dinheiro Vivo

Homem residente na Figueira da Foz foi furtado na sua garagem


CRIME



Ontem dia 15 de Janeiro de 2018, a Polícia  de Segurança Pública recebeu a denúncia de um cidadão residente na Figueira da Foz, de que no período compreendido entre as 5H00 do dia 14 e as 11H00 do dia 15 do mês em curso, viu ser-lhe furtado do interior da sua viatura particular que se encontrava na garagem, um casaco e uma mochila com diversos documentos pessoais, entre eles bancários, assim como uma avultada quantia monetária em euros e dólares. Constituindo assim um crime contra a propriedade, segundo fonte da PSP.

Ao que tudo indica, apesar de não se saber como os assaltantes entraram na garagem, "sabe-se que abriram a viatura através do arrombamento de um vidro".



A PSP através de comunicado aconselha:


«A tranquilidade e a segurança é uma tarefa de todos. A PSP está apta a dar conselhos sempre que solicitada. É cada vez mais importante que os cidadãos tenham consciência da necessidade de promoverem a sua segurança e a dos seus bens. Certifique-se sempre que deixa todas as portas e janelas fechadas».

Mulher de 46 anos detida pela PSP a conduzir sem carta


DETENÇÃO 


Ontem, dia 15 de Janeiro de 2017, pelas 11h00, na Rua Dr. Fernando Traqueia - Figueira da Foz, no decorrer de uma operação de fiscalização, foi detida por elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP), uma cidadã, de 46 anos, com residência naquela cidade, por a mesma não possuir habilitação legal para a condução de veículo ciclomotor. Segundo fonte da PSP.

Pombal recebe a 1ª Conferência de Babywearing de Portugal





POMBAL




Pombal recebe aquela que será a 1.ª Conferência de Babywearing a realizar-se em Portugal, irá decorrer no Teatro Cine de Pombal, no próximo dia 29 de Janeiro, entre as 10h00 e as 16h00.

Este certame será direccionado para profissionais de saúde, grávidas, mães e pais, cuidadores, educadores de infância e todas as pessoas que se interessem pelo tema.
Vão ser também realizadas várias iniciativas durante o dia; workshops, debates, venda de artigos de babywearing. O programa também a criação da Associação de Babywearing Portuguesa que terá como missão a ajuda à divulgação da prática correta de babywearing.

Babywearing  é uma pratica de manter a criança perto e conectada a si mesmo na realização de actividades do quotidiano através do uso de uma das diferentes opções de porta bebés. 
«É uma prática tradicional em muitas culturas inclusivamente em Portugal, mas não é amplamente usada nas sociedades modernas e industrializadas, mas apesar de tudo tem muitos benefícios para ambos, a criança e quem carrega.  Babywearing promove o apego, promove a amamentação, ajuda a combater a depressão pós parto, torna o colo mais fácil de manter, e pode ser um “salva vidas” para pais de crianças com necessidades especiais. Bebés carregados tendem a  dormir, alimentar, e crescer melhor.
Babywearing não está relacionado com nenhuma Filosofia de parentalidade em especial, nem tem a ver com um tipo de porta bebés específico. Pode ser praticado por uma ampla variedade de pessoas que inclui a mãe, pai, avós, irmãos, amas, enfermeiros, doulas, em suma, todos os que cuidam de um bebé. Existem opções seguras e confortáveis para diferentes orçamentos e gostos».
Devido aos seus benefícios, para ambas as partes envolvidas, é missão da Associação de Babywearing Portugal  promover e difundir a sua prática para que seja cada vez mais aceite na comunidade. Segundo a página da organização.






Aprovada construção da Ponte do Paço entre Montemor-o-Velho e Coimbra




MONTEMOR-O-VELHO


Foi ontem aprovado, por unanimidade, pelo Executivo Montemorense, o projeto de execução da nova Ponte do Paço que liga os concelhos de Montemor-o-Velho e Coimbra, entre Pereira a Arzila. 


Com cerca de 14 metros de vão entre eixos, 10 metros de perfil transversal e de super-estrutura pré fabricada, a nova Ponte vai permitir um normal fluxo do trânsito, solucionando o estrangulamento viário que diariamente condiciona a circulação de milhares de veículos entre os dois concelhos. A ponte actual vai ser desactivada ao trânsito, mantendo-se como pedonal e clicável.

Projecto conjunto entre as Câmaras Municipais de Montemor-o-Velho e de Coimbra, a nova Ponte tem um custo estimado de cerca de 270 mil euros (163 mil euros para a construção da ponte e 110 mil para os acessos), que será financiado por ambos os municípios.


“Estamos a trabalhar com seriedade. Estamos a fazer o que já deveria ter sido feito há muitos anos. Não o podemos construir sem projeto nem sem as devidas autorizações das diversas entidades”, salientou o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, que acrescentou o desejo de que a obra "se concretizasse o mais rapidamente possível". 

Sublinhando a importância da nova Ponte "para todas as freguesias do concelho de Montemor-o-Velho e para todas as freguesias de Coimbra”, Emílio Torrão não esquece o relevo que a obra vai ter "até para os outros concelhos que utilizam esta via”. “Há um empenhamento muito sério não só meu, mas também do presidente da Câmara Municipal de Coimbra, nesta obra. Estamos a cumprir a palavra dada. Alguns pensavam que estava parado, aqui está a prova de que não está. Estamos a trabalhar”, constatou o edil montemorense.

Recorde-se que no passado dia 4 de Julho, os Municípios de Coimbra e de Montemor-o-Velho assinaram um acordo de parceria para a construção da nova Ponte do Paço e respectivos acessos. O projeto dos acessos está a ser efectuado pela Câmara Municipal de Coimbra e o projeto de elaboração da nova Ponte do Paço (obra de arte e estudos geotécnicos e hidráulicos) pela Autarquia Montemorense (desenvolvido a cargo da Strain, Consultores de Engenharia, Lda).

"O projeto agora aprovado por unanimidade está ainda condicionado ao parecer da APA - Agência Portuguesa do Ambiente. Depois será remetido à Câmara Municipal de Coimbra que irá recolher os restantes pareceres do ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e Florestas e da CCDRC - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro para que a obra possa seguir os trâmites legais e ser iniciada”, explicou Emílio Torrão, à margem da reunião de Câmara. Segundo o Município Montemorense.

Remo: Naval participou na 3ª fase de testes para a equipa Nacional



DESPORTO


Os centros regionais da Federação Portuguesa de Remo de Viana do Castelo, Porto, Coimbra e Lisboa receberam, no passado dia 10 de Janeiro, a terceira fase de testes nacionais, com vista à constituição das equipas que irão representar Portugal na selecção nacional de Remo.

Foram 77 o número de atletas, juniores e seniores que participaram na terceira fase de testes de acesso à equipa nacional, tendo a Associação Naval 1.º de Maio estado presente em Coimbra com 7 Atletas, 1 júnior feminina, 1 sénior feminina e 5 juniores masculinos.

..A Atleta Catarina Norinho esteve todo o teste condicionada com uma lesão no braço, ainda assim conseguiu obter o 2.º melhor resultado nacional no escalão de júnior feminina.
Já a Atleta Marta Ferrolho, no escalão de sénior feminina sub-23, viu-se obrigada a desistir com problemas num joelho.

Os Atletas juniores masculinos obtiveram os seguintes resultados: Raúl Rodrigues alcançou a 8ª posição, Daniel Mendes ficou em 13º Lugar, Roman Nayavko atingiu o 15º Lugar, Leonardo Gil ficou em 18º e Ruslan Nayavko alcançou a 27ª posição.




José Cid abre dia 24 deste mês "Museu Fora D´Horas"



CULTURA


Um novo conjunto de nomes do panorama cultural nacional irá partilhar,  num espaço inusitado, o Museu Municipal Santos Rocha, estórias de vida e da vida, na 2.ª edição do ciclo "Museu Fora D´Horas".

A primeira sessão da iniciativa decorre dia 24 de Janeiro, pelas 21h30, e terá como convidado o compositor, músico instrumentista e produtor musical, José Cid, que acaba de lançar um novo disco, em vinil e CD,   “Clube dos Corações solitários do Capitão Cid”.

A entrada no  "Museu Fora D`Horas " é gratuita, contudo sujeita a levantamento de bilhete ao balcão do Museu Municipal Santos Rocha. 

Nuno Amado, finalista do Prémio Leya 2017, é o próximo convidado das 5.as de Leitura


CULTURA

Nuno Amado, autor do romance «Parem Todos os Relógios», finalista do Prémio LeYa em 2017, marca presença, dia 25 de Janeiro, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal,  na próxima sessão das nas 5.as de Leitura, juntamente com a sua editora, Maria do Rosário Pedreira (Oficina do Livro - Grupo Editorial Leya). A entrada é livre.

BIO: Nuno Amado nasceu em Lisboa, em 1978. Autor de dois livros de divulgação científica « Diz-me a Verdade sobre o Amor» e «Ups! Já Fiz Asneira Outra Vez», ambos publicados pela Oficina do Livro, é psicólogo clínico e professor universitário. Estreou-se na ficção em 2012 com o romance «À espera de Moby Dick», a que se seguiu em 2015 «Manual de Felicidade para Neuróticos».

Crónica de Tiago Ferreira: O décimo oitavo






Crónica de Tiago Ferreira: O décimo oitavo


Com a eleição de sábado passado o número de presidentes do PSD, desde a sua fundação em 6 de maio de 1974, passa para dezoito. Excetuando o BE, porque foi criado em 1999, este número é superior à soma de lideres que PS, CDS e PCP tiveram no mesmo período de temporal. Este valor mostra muito daquilo que é a instabilidades e os conflitos internos que se desenrolam dentro do PSD. 

Como mostrou a entrevista de Miguel Relvas, a liderança de Rui Rio vai encontrar uma enorme oposição interna. Em primeiro lugar vai herdar uma bancada parlamentar, que foi escolhida por Passos Coelho e que apoiou na sua grande maioria Santana Lopes, sendo os casos mais conhecidos de Hugo Soares e Luís Montenegro. Terá que escolher um líder parlamentar que consiga fazer a ponte com os chamados “Passistas”. 

Depois deve mudar o discurso e começar a apresentar alternativas à governação de António Costa. Rui Rio, deve ter como objetivo patentear parente os eleitores que o PSD é uma real alternativa. Em termos políticos, Rui Rio terá que reocupar o espaço ao centro que o CDS lhe tem vindo a “roubar” e tirar a Assunção Cristas, o protagonismo que obteve no seio da comunicação social. 


A sobrevivência da liderança de Rui Rio, vai ainda depender muito da forma como lhe correr este primeiro ano de mandato. Se neste primeiro ano de mandato for feita uma oposição dura a António Costa e o PSD subir nas sondagens, Rui Rio tem todas as possibilidades de obter um bom resultado nas legislativas daquele ano. No momento em que escrevo, devemos ter patente que um bom resultado para o PSD é conseguir que o PS juntamente com o BE e PCP não renovem a sua maioria parlamentar.

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Anuncio

Anuncio
Copyright © fozaominuto