Bem-Vindo à Foz ao Minuto, líder de audiências na Figueira da Foz

Anuncie AQUI

20 de agosto de 2018

Pombal: Noite dos Morcegos no Vale do Poio Novo no próximo dia 25 deste mês



A 12ª. Noite dos Morcegos de Pombal vai realizar-se no Vale do Poio Novo, que é um dos “locais mais emblemáticos do concelho de Pombal”, no dia 25 de Agosto, por iniciativa do Grupo Protecção Sicó (GPS).
Constituída por uma palestra e por um passeio pedestre, para “conhecer, ver e ouvir os morcegos”, a Noite dos Morcegos é “enquadrada por técnicos com larga experiência no estudo de morcegos, que terão ainda disponíveis equipamentos que permitem a sua detecção e identificação enquanto voam”.
Para participar no passeio, cuja concentração e palestra estão agendadas para as 17:30, no Escolabrigo (antiga Escola Primária das Ereiras), os interessados devem, além de usarem roupa e calçado adequados “às condições meteorológicas do dia” e de levarem merenda e água, fazer a respectiva inscrição até 22 de Agosto.

18 de agosto de 2018

Gliding Barnacles 2018 começa a 28 de Agosto e termina a 2 de Setembro




SURF + ARTE + MÚSICA + VINHO = LIFESTYLE



Desde a 1.ª edição, realizada na Figueira da Foz em 2014,o Gliding Barnacles (GB)superou todas as projecções e conseguiu afirmar-se como um evento de surf inovador em Portugal através da sua associação ao lifestyle e à cultura do surf clássico, com pranchas inspiradas nos anos 50, 60 e 70.

A vontade de apresentar muito mais do que uma semana de surf clássico não competitivo, passou por recuperar um modelo prestigiante de organização (o chamado ‘surf invitational’, que se desenvolveu a partir das ilhas do Havai nos anos 50).

Nesse modelo, a organização selecciona e convida um determinado número de surfistas oriundos de várias partes do mundo, que representam o melhor, em pranchas longboard, dos anos em questão, possibilitado também ao público presente, mediante inscrição, a partilha de ondas e experiências.

No sentido de diferenciar o Gliding Barnacles dos modelos competitivos, aproximando a cidade ao mar de uma forma ecologicamente sustentável, e reconhecendo o potencial do universo estético e a forma de viver associada ao surf,o convite também incluiu criativos de todo o mundo relacionados com o surf, ‘shapers’, designers, fotógrafos e cineastas, aproximando todos aqueles que tornam a experiência no mar visível, testemunhável e permanente no tempo. 

Foi na praia do Cabedelo, na margem sul do Mondego, que se iniciaram as grandes competições de surf de nível mundial em Portugal: em 1996, há 22 anos, Kelly Slater ganhou aqui o seu quarto título, mas décadas antes já se surfava nestas ondas - Miki Dora surfou na Figueira da Foz e a prática do surf está documentada pelo menos desde a década de 1940 - e é com base nesta longa tradição que o convite do Gliding Barnacles representa a identificação de uma comunidade com o lugar e com o mar, que abraça o surf como parte fundamental desta identidade, e que não depende dos calendários ou dos compromissos das competições internacionais

Através de nota de imprensa a organização informa que «em 2018, pelo quinto ano consecutivo, este evento de celebração do mar, organizado pelo espírito colaborativo de dezenas de pessoas e que, ano após ano, promove a Figueira da Foz como destino privilegiado para a prática da modalidade a nível mundial, quer continuar a crescer e a consolidar-se, mantendo a sua identidade e o compromisso com os valores ecológicos e comunitários que nos projectaram como uma referência no calendário de surf internacional».

A semana de surf clássico mais esperada na Península Ibérica regressa entre 28 de Agosto e 2 de Setembro. Ao longo das últimas quatro edições do Gliding Barnacles, o nível de surf apresentado superou sempre todas as expectativas, essencialmente porque a “palavra” - hoje não apenas no seu sentido oral e escrito, mas também no seu sentido digital - passou entre a comunidade nacional e internacional de surfistas, viajando entre continentes,atraindo entre os 25 surfistas convidados de 2017, um número cada vez maior de participantes internacionais como o australiano Beau Young, campeão mundial de longboard em 2000 e 2003, o japonês Hideki Jumbo Sakakibara, o mexicano Israel Preciado, ou a americana Karina Rozunko, vencedora do Malibu Surf Relik, a prova mais importante de longboard na Califórnia.

A mesma nota explica que «ao mesmo tempo, sucessivamente, foram sendo adicionadas participações e propostas culturais com as quais nos identificamos(como o SAL - Surf at Lisbon Film Festival, o Citemor - Festival de Montemor-o-Velho, e o Simplesmente Vinho, certame internacional de vinhos na cidade do Porto) que muito contribuíram para repensar a relação da cidade com o mar e o surf, no sentido de demonstrar que o mar não faz apenas parte do horizonte visual da cidade durante o Verão, e é possível criar dinâmicas regionais muito interessantes para os turistas, portugueses e estrangeiros, que visitam a Figueira da Foz ao longo de todo o ano.O denominador comum a todos os momentos vividos durante o Gliding Barnacles é o lado autêntico e generoso que passa da partilha de ondas no mar para a partilha de uma forte acção cultural na cidade».

O palco principal é o oceano Atlântico mas durante o Gliding Barnacles toda a cidade se agita, também com a programação oferecida a partir da garagem Auto-Peninsular, em pleno Bairro Novo, zona turística de excelência da Figueira da Foz. Aqui é possível ver cinema e exposições de fotografia e é a partir daqui que a noite se inicia, acolhendo parte dos 20 concertos agendados para 2018. O Gliding Barnacles procura integrar, desta forma, surfistas e criativos de mil-e-um ofícios e nacionalidades, operando numa rede de colaborações, que aqui encontra um espaço anual informal de encontro e convívio, uma plataforma de reflexão cultural e de estímulo da comunidade criativa.

Caracterizando-se por ser um encontro internacional, integrador, ecologicamente sustentável e não competitivo,o Gliding Barnacles encontra no público entre os 16 e os 45 anos a sua maior percentagem de visitantes. Nas nacionalidades,para além dos visitantes nacionais, os espanhóis das regiões da Galiza, Astúrias, Cantábria, País Basco, Catalunha e Comunidade Valênciana, representam a expressão mais elevada de presenças.

Seguem-se os visitantes de países da União Europeia (como a França, o Reino Unido, Itália, Holanda, Alemanha, Dinamarca, Noruega e Suécia)e extracomunitários oriundos da Austrália, Nova Zelândia, Índia, Estados Unidos da América, Japão, Indonésia e Brasil, entre outras nacionalidades.

No final do evento será usada para a divulgação do Gliding Barnacles uma curta-metragem, candidata a exibição em vários festivais internacionais de cinema de surf, e uma selecção das melhores fotografias.

Nas palavras do fundador e designer da Fly Black Bird, Pedro Falcão, o Gliding Barnacles conquistou o seu lugar como “o melhor evento de celebração da cultura de surf alternativo. Ponto”.


Para marcar estes cinco anos, um conjunto internacional de surfistas, fotógrafos, músicos e criativos de várias disciplinas, vão desenvolver um trabalho de colaboração durante a semana de 28 de Agosto e 2 de Setembro,que será incluído num documentário e livro a editar durante a 6.ª edição do GB, em 2019.

O Gliding Barnacles 2018 é uma organização da Associação de Desenvolvimento Mais Surf e da Câmara Municipal da Figueira da Foz, com o apoio do Turismo Centro de Portugal e juntas de freguesia de São Pedro e de Buarcos e São Julião.

SIRL em concerto solidário para ajudar Bombeiros Voluntários de Góis




A Sociedade Instrução e Recreio de Lares, vai participar num Concerto Solidário com os Bombeiros Voluntários de Góis, este Concerto está inserido na 7.ª edição do estágio técnico ou artístico com o Compositor Afonso Alves, que a Sociedade Instrução e Recreio de Lares, através da sua Banda Filarmónica realizou entre os dias 30 de Julho e 4 de Agosto passado. 

Através de comunicado a colectividade informa que «pretende-se com este concerto a realizar no próximo dia 25, ajudar os Bombeiros de Góis, que na última edição deste estágio realizada em Góis (em 2016), tão bem nos acolheu. Pretendemos de alguma forma retribuir o acolhimento que obtivemos em 2016 e ajudar com a totalidade da receita do concerto, que se realizará na Casa da Cultura de Góis, no dia 25 de Agosto pelas 21:30. A receita reverterá na totalidade para os Bombeiros Voluntários de Góis».

Esplanada Silva Guimarães recebe hoje evento "Street Leo"





No próximo sábado (18), decorrerá, na Esplanada Silva Guimarães, o evento “StreetLeo”, promovido pelo Leo Clube da Figueira da Foz- Foz do Mondego.

A iniciativa pretende, através de uma série de espectáculos de rua, que prometem animar os transeuntes, angariar fundos que reverterão para uma associação de Protecção Animal da cidade (GADAFF). Muita música, dança e récita de poesia servirão de mote para o evento, que contará com a participação de jovens talentos do concelho.

Note-se que o Leo Clube da Figueira da Foz- Foz do Mondego pertence a um movimento internacional de solidariedade, apartidário e sem ligações religiosas ou fins lucrativos, composto por Leos, jovens entre os 12 e os 30 anos (que se agrupam em clubes (como o Leo Clube da Figueira da Foz). 

O Leo Clube da Figueira da Foz – Foz do Mondego conta já com 5 anos de serviço à comunidade, tendo como principais focos o alívio à pobreza (através de recolhas de alimentos e distribuição de cabazes a famílias carenciadas), o acompanhamento de famílias, crianças e idosos institucionalizados (visitas a lares, promovendo actividades lúdicas e culturais), a preservação do meio ambiente (através de limpezas na Serra da Boa Viagem e em praias, assim como visitas e recolhas de alimentos a favor de associações de protecção animal), entre outras actividades.

17 de agosto de 2018

PSD sugere a suspensão imediata das obras em Buarcos, no Cabedelo e também na zona antiga da cidade





A Comissão Política de Secção do PSD, através de nota de imprensa deixou críticas às declarações do Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz João Ataíde acusando este, de desconhecimento do projecto que aprovou para a frente ribeirinha e sugere à vereação socialista a suspensão imediata das obras em Buarcos, no Cabedelo e também na zona antiga da cidade.

Leia na íntegra o comunicado social-democrata:


Pombal: GNR apreendeu 45 aves de espécies protegidas e autóctones na Guia



O Comando Territorial de Leiria, através do Núcleo de Proteção Ambiental de Pombal, no passado dia 14 de Agosto, na Guia em Pombal, apreendeu 45 aves de espécies cinegéticas protegidas e autóctones.

Segundo comunicado da GNR, «as aves, 28 espécies cinegéticas e 17 autóctones, encontravam-se numa casa devoluta e sem autorização do Instituto de Conservação da Natureza, tendo sido apreendidas por não ser permitida a sua posse em cativeiro».
Entre as aves cinegéticas, apreendidas ao abrigo da Lei da caça, encontravam-se espécies como o melro “Turdus Merula”, o pombo bravo “Columba Oenas”, o gaio “Garrulus Glandarius”, a pega-rabuda“Pica Pica”, o pato-real “Anasplatyrhynchos” e a rola-comum “Streptopelia Turtur”.
As aves autóctones foram apreendidas ao abrigo da Convenção de Berna, que tem como objectivo a a conservação da fauna e da flora selvagens, entre elas encontravam-se espécies como o pintassilgo “Carduelis Carduelis”, o chamariz “Serinus Serinus”, a águia-d'asa-redonda “Buteo Buteo”, o pica-pau-malhado-grande"Dendrocopos Major”, o corvo “Corvus Corax”, o estorninho- preto “Sturnus Unicolor” e o bico-de-lacre“Estrilda Astrild”.

Foi identificado um indivíduo, de 57 anos, e elaborados dois autos de notícia por posse de espécies de aves protegidas, tendo as mesmas ficado à sua responsabilidade

16 de agosto de 2018

Maria Almeida vence 1º Magenta Art Battle






A Artista plástica Maria Almeida foi a vencedora do 1º Magenta Art Battle, que  decorreu no dia 11 de Agosto de 2018, no Núcleo Museológico do Sal, em Lavos, prémio que lhe foi entregue por João Ataíde Presidente da Camara Municipal da Figueira da Foz.

Tratou-se de uma actividade de pintura competitiva realizada ao vivo, onde os Artistas Plásticos criaram o seu trabalho em dois rounds” de 20 minutos cada, utilizando tinta acrílica. As ferramentas permitidas foram: pincéis, espátulas ou outros utensílios não mecânicos. 

Enquanto executaram a sua pintura o público observou o processo criativo e votou na pintura favorita, seleccionando, assim, os 4 vencedores que disputaram a prova final, realizada em 30 minutos. 

Depois de apreciar o desempenho de cada artista o público elegeu Maria Almeida como vencedora do prémio Ouro (1º lugar) que a levará a participar na exposição internacional de arte a realizar em Bergen, na Noruega, de 19 a 30 de Agosto, uma co-organizaçao da Magenta e Artcom Expo - Associação Internacional de Artistas  com sede na Noruega.  O prémio Prata (2º lugar) foi conquistado por Ramiro Calouro, o prémio  Bronze (3º lugar) foi atribuído a Mário Silva (filho) e o prémio Cobre (4º lugar) a Herminia Veríssimo. 






Carapinheira festeja Nossa Senhora das Dores há 229 anos




Por Aldo Aveiro


A comunidade cristã da Carapinheira, arciprestado do Baixo Mondego, festeja Nossa Senhora das Dores, de 16 a 19 de Agosto de 2018.

A festividade, essencialmente de cariz religioso, inicia-se hoje, pelas 21h00, com a celebração da Eucaristia, seguida de procissão, acompanhada pela Academia Musical Arazedense, que conduzirá a Imagem de Nossa Senhora das Dores à Capela de Santo Amaro, onde ficará à veneração dos fiéis, até sábado.

Nesse dia 18, será celebrada a Missa Vespertina, pelas 21h00, seguida de procissão que reconduzirá a Imagem de Mãe de Cristo da Capela de Santo Amaro à Igreja Matriz, acompanhada pela Academia Musical Arazedense.

O grande dia festivo, dia 19, será anunciado por salva de 21 tiros, culminando com a celebração da Eucaristia, pelas 16h00, animada pelo Grupo Coral Paroquial da Carapinheira, seguida da imponente procissão, onde se incorporam os Escuteiros, as irmandades (sob a égide da Confraria do Santíssimo Sacramento, de Nossa Senhora do Rosário e das Almas), o pálio e a veneranda e venerada Imagem de Nossa Senhora das Dores e participação dos fiéis, acompanhada pela Banda da Filarmónica União Verridense.

De registar que, na paróquia de Santa Susana da Carapinheira, a veneração mariana emerge dos primórdios da paróquia, invocando Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Graça e Nossa Senhora das Missões:

«Todavia, o fervor e devoção por Nossa Senhora das Dores remonta ao último quartel século XVIII, quando, como escreveu Francisco Correia Lopes, “no ano de 1788 desejando ter na sua igreja uma imagem que lhe representasse a Mãe de Deus nas angustiosas dores da morte do seu amado Filho (…) encomendaram a imagem, que é de tamanho natural duma mulher regular e é de vestir; as suas feições são com tanta naturalidade e beleza, que nem a aflição de chorar e com as lágrimas a resvalar pelo rosto abaixo, lhe fazem perder o belo das suas feições, tão naturais e com tanta sabedoria elas foram traçadas; tem a cara um pouco levantada e os olhos inclinados ao céu como suplicando; é de uma devoção a quem a vê, inexplicável, e parece inspirar no coração dos fieis a crença de que ela está viva para os ouvir e atender (…)”. “Teve colocação no seu altar nesta igreja, com a sua primeira festa no dia 4 de Janeiro de 1789, (…) havendo só missa cantada e sermão que se pagou por 1$600 reis apesar do orador vir de Coimbra, e com uma dúzia de foguetes que custaram 1$200 reis. (...) a devoção com a Senhora das Dores nesta freguesia tem aumentado e feito elevar a sua festa a tal ponto de luxo que difícil será imita-la em terra alguma deste distrito de Coimbra; e, mesmo em Coimbra, só a excede a festa da Rainha Santa, o que não admira, por que lá dispõem de todos os elementos de que precisam para o luxo e grandeza, tendo a coadjuval-a todas as corporações civis e religiosas de todas as freguesias da cidade na sua procissão; e nós aqui servimos nos só com o nosso pessoal e objectos; por isso é mais para admirar aqui a grandeza desta festa do que em Coimbra a da Rainha Santa. (...) »

Nossa Senhora do Pranto venerada em Arazede




A fé a devoção saíram à rua, no dia 15 de agosto, em Arazede. A missa e a majestosa procissão em Honra de Nossa Senhora do Pranto voltaram a tomar conta das principais ruas da vila, sendo um dos pontos altos das festividades que se prolongam até dia 19.

Maioria da classe política figueirense ao lado do Movimento Parque Verde na questão do abate de árvores




Por Carlos Pinto


Esta manhã várias pessoas marcaram presença no Largo do Caras Direitas em Buarcos, para onde seria de esperar o abate de 16 árvores, que acabou por não se verificar, na qual a FOZ AO MINUTO esteve presente , recolhendo alguns depoimentos de diversas forças políticas, também elas presentes no local.


«São um atentado ambiental, é preciso pulmões nesta cidade» afirmou Silvina Queirós, deputada da Assembleia Municipal eleita pela CDU.


Silvina Queirós afirma ser «radicalmente contra este abate absurdo», tendo ainda por base a construção de um estacionamento. Afirmou também que «este abate é sinal de falta de planeamento, visto incluir árvores jovens. Ainda que as finanças da Câmara Municipal estejam melhor, haverá assuntos mais prioritários a resolver».

A deputada, acrescentou ainda «que que ainda não entendia por completo o projecto, afirmando que o projecto fui votado em Assembleia Municipal, sem todos os grupos parlamentares estarem bem informados dos mesmos, incluindo membros da Bancada do PS. O desconhecimento do projecto ainda é mais grave na população, devido a escolha da data e hora da apresentação do mesmo».

Silvina Queirós, relembrou também o abates no passado recente de árvores, para a construção de uma rotunda, de forma a regular a o transito de uma superfície comercial, chamada  Figueira da Foz a "cidade das Superfícies Comerciais".

Confessou que ainda «não tinha percebido todo o projecto, nem se percebe como é que se faz a parte mais pesada do trabalho em plena época alta turística, criando transtornos significativos para a população».  

Por ultimo acrescentou que «os erros só se não corrigem, senão houver vontade, sendo isso sinal de teimosia e de desrespeito da vontade da população, esta obra devia ser parada Imediatamente».






O deputado da Assembleia Municipal  Ricardo Silva , eleito pelo PSD, diz não entender o propósito de tal obra, que está «simplesmente a destruir uma marginal atlântica (com um dos propósitos de melhorar o tráfego rodoviário) sem que houvesse um estudo de impacto no tráfego do mesmo».


A solução para o deputado seria «o fim do projecto por completo, repondo na integra a marginal como estava». Aponta também para «a falta de discussão do mesmo, visto que foi apresentado em horário laboral sem perguntas e respostas para a população. Outro ponto de insatisfação para o deputado «é a realização de reuniões a porta fechada, algo inédito na Câmara Municipal da Figueira da Foz».


Carlos Tenreiro, Vereador Municipal, que também teve presente, afirmou que (estas árvores)" são o nosso património", e  lamenta que tais eventos estejam a acontecer também noutros espaços na Figueira da Foz. O deputado do PSD, mostrou-se contra o projecto, «mais ainda mais, em relação ao abate de árvores para o executar».


O mesmo afirmou que o PSD, já manifestou nos espaços próprios o seu descontentamento com o mesmo. Aliás, afirma na sequência do arranque de amoreiras na requalificação da envolvente do actual quartel da GNR, que o PSD apresentou uma proposta a 3 meses, para requerer pareceres técnicos a fundamentar qualquer novo abate de árvores. Essa proposta fui aprovada sem oposição». Acrescentou Carlos Tenreiro.




Luís Ribeiro, deputado do Partido Socialista na Assembleia Municipal, confessou que este projecto tem pontas soltas, e defendeu que era preciso abater algumas árvores, mas não a quantidade marcada aquele largo, tal abate seria inaceitável, sendo necessário uma solução para conciliar a preservação do máximo de árvores possíveis (senão mesmo a totalidade) e a construção do parque de estacionamento.


O deputado do Partido Socialista acredita que «a Câmara Municipal da Figueira da Foz, será sensível à manifestação de vários figueirenses, por diversos meios, arranjando uma solução para este problema».


Filmagem de telemóvel junto à praia de Buarcos acabou com a detenção do autor das filmagens



No passado dia 14 de Agosto de 2018, pelas 14h56, na Rua 5 de Outubro (Figueira da Foz), foi detido por elementos da PSP, um cidadão de 57 anos, com residência naquela cidade,pelo Crime de Resistência e Coação a Agentes de Autoridade.

Segundo o comunicado da PSP - «A detenção surge no decurso de uma acção de patrulhamento em que o ora detido, pegou no seu telemóvel começando a gravar e falar alto com o intuito de nos demover da nossa atuação. Ao ser abordado foi-lhe solicitado que não interferisse na nossa actividade operacional, pelo que gesticulando e em tom altivo e agressivo, persistiu com a mesma atitude. Perante esta situação foi-lhe dada voz de detenção». Acrescenta o mesmo comunicado.

O cidadão por seu turno publicou o vídeo nas redes sociais, e queixa-se de ter sido «interceptado por dois agentes da PSP por estar a filmar a praia com o seu telemóvel».

Abate de árvores em Buarcos leva PSD/Fig. da Foz a pedir Assembleia Extraordinária




O PSD/Figueira da Foz, informou através de comunicado que pretende marcar uma Assembleia Extraordinária, depois das declarações do Presidente João Ataíde relativas ao abate de árvores em Buarcos, nas quais o PSD entende que o presidente e o seu vice-presidente «têm comportamentos arrogantes, altivos e prepotentes, demonstrando a convicção que são experts em vários assuntos e por isso não tem qualquer interesse em ouvir várias opiniões».
 
Ainda no mesmo comunicado os sociais-democratas vão mais longe e dizem que «Todo este comportamento tem a complacência do vice presidente líder do partido socialista,Carlos Monteiro. Em democracia é inadmissível este tipo de actuação, de acordo com as regras sociais, nenhuma das características associadas ao sentimento de arrogância são positivas. Hoje ficou provado pela voz de João Ataíde, que ninguém do executivo conhece estes projecto quanto mais os Figueirenses».

O PSD já contactou várias forças políticas com assento na Assembleia Municipal para proceder à realização de uma Assembleia Municipal Extraordinária,


FotografiaLDA

FotografiaLDA

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Principais destaques da semana

Copyright © Foz ao Minuto