Bem-Vindo à Foz ao Minuto, líder de audiências na Figueira da Foz

publicidade.fozaominuto@gmail.com

publicidade.fozaominuto@gmail.com
A melhor forma de anunciar no século XXI

FotografiaLDA

16 de agosto de 2018

Movimento Parque verde impediu o abate de árvores em Buarcos esta manhã




Por CARLOS PINTO



O Movimento Parque Verde encabeçado por Luís Pena impediu esta manhã que fosse realizado o abate de pelo menos 16 árvores, no Largo do Caras Direita em Buarcos.

Foi esta manhã entre as 8h00 e as 10h00, decorreu uma manifestação para impedir o abate de pelo menos 16 árvores. Esse abate seria para dar espaço a «um parque de estacionamento no âmbito da requalificação da frente marítima de Buarcos, sendo este co-financiado pela a União Europeia (UE)».


Luís Pena- Movimento de Parque Verde


Segundo o advogado Luís Pena, representante do movimento de cidadãos parque verde: «estaria agendado para hoje o abate "criminoso" de 16 árvores no Largo Caras Direitas mais concretamente junto a antiga bomba de Gasolina». 




Contundo para cumprir com o plano actual de requalificação «serão abatidas pelo menos mais 22 árvores do outro lado do mesmo Largo. Esta abate é ainda mais agravado, tendo em conta as árvores já abatidas ao longo da obra presente na Avenida do Brasil». Acrescentou o advogado - «As árvores em questão, na maioria plátanos saudáveis, tem cerca de 50 anos, sendo as mais novas de 2013, a quando da requalificação desse Largo, mais concretamente da remoção do antigo posto de Gasolina ali presente». 


Luís Pena, afirmou ainda que "se a a UE tiver conhecimento destes abates, irá com certeza haver consequências".  Para além do fim do abate destas árvores, o movimento parque verde, gostaria que todas as forças políticas presentes na Figueira da Foz, tomassem um posição directa sobre este abate. O mesmo desagrado já foi comunicado à Câmara Municipal da Figueira da Foz, convidando a mesma a repensar o projeto, no terreno e não no "Google Maps", tendo até a data tido nenhuma resposta». 




Outro problema assinalado por Luís Pena: «foi a deficiente comunicação com a população do projeto, visto a sua apresentação ter decorrido no período laboral, e durante a mesma, nunca ter sido anunciado qualquer abate de árvores durante o mesmo. 


O advogado deixou ainda uma crítica ao que considera «falta de cultura cidadã" e " estranha" a presença pelas forças de segurança a vigiar uma manifestação pacifica», acabando inclusive por o próprio Luís Pena ter sido identificado pela PSP.


1 comentário:

  1. Bem as Arvores , cortadas , não é um sério, problema . Mas podadas isso sim , se limparem os terrenos com seringas dos drogados , é maravilha , cuecas borradas isso sim Eu muitas vezes vejo isso, arvores , devem ser podadas, convenientemente As arvores serem, bem arranjadas , dao outro brilho Desculpem da palavra Merdice , nestes terrenos é horrível

    ResponderEliminar

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Principais destaques da semana

Anuncie AQUI

Copyright © Foz ao Minuto