Candidatura “Pedro Machado – Figueira do Futuro” juntou personalidades para debater o problema da erosão costeira no concelho

 


A candidatura “Pedro Machado - Figueira do Futuro” realizou uma visita, com personalidades locais e nacionais, à zona sul do concelho da Figueira da Foz. O objetivo da iniciativa, a que se seguiu um debate, foi dar a conhecer, in loco, a preocupante realidade da erosão costeira na Praia da Leirosa, Costa de Lavos e Cova Gala. Cristóvão Norte (deputado do PSD na Assembleia da República), Lídia Pereira (deputada do PSD no Parlamento Europeu), Miguel Poiares Maduro (professor universitário e ex-Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional), Teresa Gamito (especialista em Gestão e Conservação dos Ecossistemas Litorais e Marinhos) e Eurico Gonçalves (do Movimento Cívico SOS Cabedelo) foram algumas das personalidades que colocaram os pés na areia para conhecer, de perto, a situação. A iniciativa foi a primeira de um conjunto de visitas e debates que a candidatura “Pedro Machado - Figueira do Futuro” se propõe debater. O tema escolhido para o arranque foi, precisamente, “Alterações Climáticas e Erosão Costeira”. “Não é por acaso que este é o primeiro tema do conjunto de debates que se vão realizar. Queremos marcar bem a prioridade que este problema representa para a nossa candidatura”, sublinhou o coordenador do grupo de trabalho do Programa Eleitoral “Figueira do Futuro”, Miguel Poiares Maduro. Pedro Machado, candidato à Câmara Municipal da Figueira da Foz, assumiu um compromisso, durante o debate na Clube Mocidade Covense (Cova Gala), que se seguiu à visita: “Serei o porta-voz dos figueirenses para encontrarmos soluções rápidas e eficazes no que respeita à erosão costeira, um tema estruturante que afeta o nosso concelho há demasiado tempo”. “Nesta visita-debate, o nosso objetivo é encontrar soluções concretas, eficazes e imediatas para problemas graves como este da erosão costeira. As questões mais urgentes, que dizem respeito à salvaguarda da vida, da segurança, dos bens e das pessoas, estão na primeira linha das nossas prioridades do debate político. Ainda estamos a tempo de salvar as famílias e os bens das famílias”, destacou Pedro Machado. “Se o Estado ainda não foi capaz de criar uma solução, se já está a adiar para 2023 a intervenção na Leirosa e se está a apontar soluções que não são soluções, mas apenas deambulações de soluções que não vão resolver os problemas na Cova Gala ou na Costa de Lavos, a nossa candidatura diz ‘não!’. Não é este o caminho. Queremos outro sentido de responsabilidade, outro sentido de liderança, para resolver em concreto os problemas reais que aqui estão. Eu serei, até que a voz me doa, porta-voz para encontrarmos soluções rápidas e eficazes”, assumiu o candidato. 

 Numa breve análise aos investimentos feitos, através de fundos europeus, o líder da candidatura realçou que “o concelho da Figueira fica fora de todas as prioridades que a bazuca deveria aplicar para os próximos cinco anos”, destacando a “notória incapacidade de tratar, usar e aplicar aquilo que os fundos comunitários colocam à disposição”. Pedro Machado recordou ainda que, das verbas disponibilizadas no âmbito do Quadro Comunitário 2014-2020, apenas 44,1 por cento foram utilizadas.

Enviar um comentário

0 Comentários