Palavras de esperança e confiança no futuro no Dia do Município em Montemor-o-Velho




No dia 8 de setembro, o concelho de Montemor-o-Velho celebrou o Dia do Município e reiterou a confiança no futuro. A sessão solene do Dia do Município realizou-se na Praça da República, ao ar livre e seguindo as indicações das autoridades de saúde. 

Com uma atuação bastante elogiada, músicos das quatro bandas filarmónicas do concelho abriram, com chave de ouro, a cerimónia do hastear das bandeiras. Apesar de ter contado com menos público do que é habitual, a sessão solene foi, pela primeira vez, transmitida em direto nos canais de comunicação do município. Facto destacado pelo presidente da Assembleia Municipal, Fernando Ramos, ao referir que “esta sessão será talvez a mais visualizada no concelho de Montemor-o-Velho”. Com uma mensagem de esperança e confiança no futuro, o Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho fez questão de deixar “uma palavra de solidariedade a todos aqueles que foram, direta ou indiretamente, vítimas desta pandemia que nos assolou de surpresa”, mas também ao “executivo, dirigentes, trabalhadores do Município, demais colaboradores externos, empresas e empresários” pelo trabalho desenvolvido durante a pandemia. “É tempo de reagir, de seguir em frente, de aprender a viver com este maldito vírus SARS-CoV-2 nas nossas vidas”, reforçou Emílio Torrão. Na ocasião, o autarca montemorense, ao dar nota da vitalidade concelhia e do atual executivo, reiterou: [durante o confinamento] “não deixámos de preparar procedimentos administrativos e financeiros, elaborar projetos e lançar concursos e preparar toda a contratação pública necessária para lançar o maior número de obras avulsas por todo o concelho, que atinge hoje um número recorde, desde que há memória, ultrapassando já os oito milhões de euros”. “Estamos a cumprir as promessas que muitos políticos que nos antecederam fizeram há mais de 40 anos”, asseverou. Com o caminho a percorrer bem definido e apostado em fazer cumprir os “planos e objetivos” para o desenvolvimento sustentado do concelho, Emílio Torrão, com orgulho, reforçou: “Montemor-o-Velho, tem uma equipa, uma liderança forte e respeitada por todos! Já não é só colocar Montemor-o-Velho no mapa! É estar lá com o respeito e reconhecimento de todos, com mérito e distinção!”. O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, José Carlos Alexandrino, elogiou a atuação do autarca montemorense e da sua equipa, tendo feito referência a exemplos de apostas certeiras de Montemor-o-Velho – tais como a valorização do Castelo ou o Convento dos Anjos ou a entrega das bolsas de excelência e mérito –, e à “robustez assinalável” do tecido empresarial. “Montemor-o-Velho é hoje um concelho diferente, mais dinâmico, mais empreendedor e mais moderno”, concluiu José Carlos Alexandrino. À semelhança dos anos anteriores, durante a sessão solene foram entregues as medalhas de mérito municipal dedicação, por 25 anos de serviço, a Maria Amélia Cardoso Cruz, Joaquim Daniel Freitas Fernandes, Adelino Oliveira Silva Tinoco, Carla Sofia Pereira Quinteiro, Maria Cristina Oliveira Baía e Vítor Manuel Maurício Bonito Portugal. Foram também homenageados, com a medalha de mérito municipal empresarial, a Casa Abreu, e, com a medalha de mérito municipal autárquico a título póstumo, Manuel de Carmo. Fernando Manuel Bessa de Sousa Brites, Fernando Manuel Carvalheiro Bento, Telma Margarida Neves Simões, António Ferrão Gonçalves, Arnaldo da Costa Nobre, José Girão Meco, José Maria Gomes da Costa, António Jesus Cardoso e Fernando Capinha Lopes receberam a medalha de mérito municipal cultural.

Publicar um comentário

0 Comentários