Assinatura de Contrato de Comodato entre a CMFF e o IEFP





Foi assinado ao final da manhã desta segunda-feira, 24 de fevereiro, no Salão Nobre dos Paços do Município, pelo Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, e pelo Delegado Regional do Instituto de Emprego e Formação Profissional I.P., (IEFP) António Alberto Magalhães da Costa, o Contrato de Comodato para cedência do imóvel comummente conhecido por «Sítio das Artes», pelo prazo de cinquenta anos (50), para instalação futura de um polo de Formação Profissional. Carlos Monteiro agradeceu a Alberto Costa, por trazer para a Figueira da Foz “um polo de excelência e qualidade”, que irá também servir, para além do concelho, a região. O edil destacou a importância de a Figueira ter um espaço centralizado, acessível, onde, salientou, “será possível qualificar mais e melhor”. Por sua vez, o Delegado Regional do IEFP, referiu o facto de o Contrato de Comodato, hoje assinado, ser o fim de um processo e simultaneamente o começo de outro. Alberto Costa, evidenciou a disponibilidade e empenho da Câmara Municipal para concretizar um “projeto que vai criar condições, favorecer o emprego, não só na Figueira da Foz mas em toda uma região envolvente”. O polo de Formação Profissional resulta de “um diálogo que visa a concretização dos desígnios do emprego e da formação profissional”, enfatizou Alberto Costa, que referiu que só nos últimos dois anos foram abrangidos na Figueira da Foz, por formação profissional, cerca de 2000 formados, uma tendência que tem vindo a crescer. Com este novo polo será possível, dependendo do tipo de ações a realizar, ter cerca de 400 formandos em permanência, e uma equipa técnica e pedagógica num espaço “unificado, onde os formandos sintam identidade”, referiu Alberto Costa que chamou a atenção para o facto de a formação profissional não ser apenas destinada a desempregados. “A aprendizagem ao longo da vida” deve valoriza-se cada vez mais, referiu. O IEPF prevê implementar neste novo polo de Formação Profissional, cujo estudo está concretizado, secções de formação cruciais, que vão ao encontro das necessidades do tecido empresarial: Restauração; Cuidados Pessoais; Tecnologias da Informação e da Comunicação; e áreas mais técnicas, como por exemplo a eletrónica. O Delegado Regional do IEFP não se comprometeu com um valor global para o investimento a ser feito no imóvel, nem com data para o início das obras, contudo referiu que é um projeto que conta com apoio ao mais alto nível no Conselho Diretivo do IEFP, e manifestou-se convicto de que será iniciado ainda em 2020.

Publicar um comentário

0 Comentários