JP/Fig.Foz lança críticas a intervenção de Francisco Baião na Sessão comemorativa do 25 de Abril





A Juventude Popular da Figueira da Foz, através de nota de imprensa acusou Francisco Baião (Partido Comunista) de «contradizer a palavra com os actos e esconder a tentativa de imposição de uma Ditadura Comunista dentro do CMJFF confundindo Liberdade com Libertinagem».

Leia na íntegra a nota de imprensa divulgada pela Juventude Popular da Figueira da Foz:

«A Juventude Popular da Figueira da Foz vem publicamente afirmar que não se revê nem se sente representada na intervenção do Conselho Municipal da Juventude da Figueira da Foz (CMJFF) na Sessão da Assembleia Municipal comemorativa do 45.o aniversário do 25 de Abril, repudiando publicamente a sua carga ideológica e política. Esta Intervenção foi preparada pela JCP à revelia dos restantes membros do CMJFF que a seu tempo expressaram o seu desagrado com o texto apresentado, tecendo várias críticas ao conteúdo ideológico do mesmo. Relembramos que o CMJFF é constituído por diversas entidades com diversas ou nenhumas orientações políticas. A JCP apropriou-se de uma intervenção que não era sua para impor o seu ideário e branquear a diversidade ideológica deste Conselho. Nos últimos anos a intervenção do CMJFF tem-se pautado por dois pontos fundamentais, a neutralidade política o foco central da intervenção nos jovens. Infelizmente a JCP não foi capaz de conviver em democracia mostrando total desconhecimento de como esta funciona e do que esta representa. O conselheiro da JCP, Francisco Baião, Chega ao cúmulo de impor que “Este será a intervenção de amanhã” mostrando de seguida a sua indisponibilidade para rever o texto, considerando esse acto de “patético” Por detrás de um discurso cheio de recriminações Francisco Baião contradiz a palavra com os actos e esconde a tentativa de imposição de uma Ditadura Comunista dentro do CMJFF confundindo Liberdade com Libertinagem».

Publicar um comentário

0 Comentários