Rotary Club de Montemor-o-Velho homenageou Guarda-rios



No passado dia 29 de Janeiro, o Rotary Club de Montemor-o-Velho levou a efeito o jantar de homenagem ao Profissional, tendo, este ano, distinguido a profissão de guarda-rios, na pessoa de Licínio Henriques Fernandes. No jantar de companheirismo que decorreu na Quinta do Outeiro, em Tentúgal, o momento foi aproveitado para homenagear não só uma profissão que se encontra relegada para o baú a memória coletiva, mas também para destacar o percurso singular do antigo guarda-rios. Ao receber os elogios e uma placa comemorativa das mãos de Rui Artur, presidente do clube de serviços montemorense, o homenageado foi brindado também com uma lembrança dos seus netos Marco Henriques, Carla Henriques e Pedro Forte, e referiu: “Estou muito grato com esta distinção. 



Esta era uma profissão muito necessária para limpeza, fiscalização e orientação dos pescadores e agricultores”. Na ocasião, os companheiros Manuel Carraco, durante a apresentação do profissional do ano, e, Fernando Ramos, no decorrer do período destinado às intervenções, destacaram a importância dos guarda-rios na cultura ripícola, nomeadamente o papel na preservação da natureza e, neste caso, do rio Mondego, assim como na ação fiscalizadora e de formação. De igual modo, o vereador Décio Matias, com palavras de agradecimento ao Rotary Club de Montemor-o-Velho “por lembrar e honrar” os guarda-rios, referiu: “O sr. Licínio é o fiel depositário destas memórias ligadas ao rio e, por isso, se reconhecermos o nosso passado saberemos o que temos que fazer no presente”. “O desafio passa por lutarmos para que o nosso Baixo Mondego tenha o reconhecimento e o tratamento que merece e que os guarda-rios não deixavam nunca esquecer”, reforçou. No final, o homenageado, natural de Montemor-o-Velho e do alto da vitalidade dos seus 91 anos, esteve à conversa com os participantes e companheiros do clube montemorense e do clube padrinho da Figueira da Foz, desvendado muitas histórias.

Publicar um comentário

0 Comentários