Figueira da Foz acolheu uma exposição itinerante do Atelier Gladys Ometto de São Paulo (Brasil)



De 15 a 19 de novembro de 2018 a Figueira da Foz  acolheu uma exposição itinerante de arte contemporânea, do Atelier Gladys Ometto, de S.Paulo-Brasil, trazendo à nossa cidade  23 trabalhos de arte, entre pintura e cerâmica. 

A exposição iniciada em Frankfurt, na Alemanha, esteve também em exibição nas cidades de Cavour e Osasco, em Itália, chegando a Portugal para ser exibida na Galeria Magenta. Tratou-se de uma intercâmbio cultural muito gratificante, quer para as artistas estrangeiras que visitaram a Figueira da Foz quer para os artistas portugueses e particularmente para a Magenta que, com este evento assinalou mais um dos seus pontos altos da atividade 2018.


Na vernissage, além dos artistas expositores e de inúmeros associados e amigos da Magenta, estiveram presentes o Vice-Presidente da CMFF, Carlos Monteiro, o Presidente da Assembleia Municipal, José Duarte Pereira, e José Charana em representação da Junta de Freguesia de S.Juliao e Buarcos, que enalteceram as atividades levadas a cabo pela nossa Associação, tendo salientado a importância desta interculturalidade e o facto de as Artistas brasileiras terem escolhido a Figueira da Foz para exibirem as suas obras de arte. 

O momento foi ainda enriquecido com a leitura de dois poemas por Isabel Tavares, da sua autoria, e por momentos musicais a cargo de Pedro (órgão) e Rafael Silva no cavaquinho e viola portuguesa, dois professores que ensinam música na Galeria Magenta. 

A comitiva que acompanhou a digressão era composta por sete Artistas Plásticas de nacionalidade brasileira. Tendo ficado alojadas nesta bela cidade à beira-mar aproveitaram, também, para conhecer um pouco da Figueira da Foz e do nosso país, com o apoio da Associação Magenta.

Durante esta permanência, a 17 de novembro, a conceituada Artista Plástica Gladys Ometto, organizadora e curadora da exposição, realizou um workshop de pintura no qual ensinou e partilhou conhecimentos sobre a técnica "acrílico diluído", uma forma de utilizar a tinta sem o uso de pincéis que suscitou muito interesse nos participantes.

As Artistas brasileiras fizeram um balanço final da sua estadia na Figueira da Foz, que consideraram ter sido muito positivo pois não só a exposição foi um sucesso, com inúmeros visitantes, como ficaram muito agradadas com os portugueses e com a cidade, que consideram muito acolhedora e bonita.


Publicar um comentário

0 Comentários