7 de agosto de 2017

Núcleo Museológico do Sal comemora 10 anos de existência



CULTURA

O programa comemorativo do 10.º aniversário do Núcleo Museológico do Sal (NMS) arrancou no passado dia 4 de Agosto de 2017 com a exposição colectiva «10 Anos, 10 Olhares», que dá a conhecer, numa dezena de obras de arte, alguns dos pintores, fotógrafos e escultores que, na última década, animaram o espaço expositivo do Eco-museu do Sal com a sua mestria.

João Silva, Luiz Morgadinho, Rick Lina, Maria Sobral Mendonça, Seixas Peixoto, Pedro Oliveira, Martina Breidenstein e Alexandre Sampaio foram alguns dos que se deixaram encantar pelo universo das salinas, reflectindo nas suas peças a força dos marnotos, a alvura dos cristais e a harmonia de um ecossistema que, depois de algum abandono, tem recrudescido com o retomar, actualizado e adaptado às novas exigências, da actividade da extracção e comercialização deste ouro branco.


Na inauguração da exposição, que contou com a animação musical de Luís Sousa, o Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, João Ataíde, afirmou, sem esconder a satisfação, que «o NMS está consagrado, em número de visitantes portugueses e estrangeiros, mas tem ainda muito por explorar e muito mais para oferecer, havendo espaço para novas valências que respeitem a Natureza e promovam as tradições», como aconteceu já com equipamentos ambientalmente sustentáveis como o Pedarium - um spa para pés que usa a água e o sal como matérias-primas - e com iniciativas como a Despesca e a Safra à Moda Antiga, que de ano para ano têm vindo a conquistar um número crescente de visitantes.


O edil agradeceu à recém-constituída equipa multidisciplinar, constituída por técnicos das divisões de Cultura e de Turismo e Desenvolvimento Económico, o empenho e entusiasmo colocado ao serviço do NMS, bem como aos que, desde o seu início, se entregaram à tarefa de recolocar a cultura salineira na vida dos figueirenses e dos visitantes, transformando-a um actividade em extinção numa oferta diferenciada e alvo do interesse não apenas de turistas, mas também de escolas, empresários e pólos de conhecimento e investigação como o Marefoz.


O Vereador da Cultura a Vice-presidente da Autarquia, António Tavares, lembrou ainda que está já submetida a candidatura, à Direcção Geral do Património Cultural, para inventariação dos «Conhecimentos Tradicionais da Produção Artesanal de Sal Marinho da Figueira da Foz». O processo, acompanhado pelo UNESCO, tem como objectivo reconhecimento, por esta entidade, do universo salineiro figueirense como Património Imaterial, uma distinção que permitiria aumentar ainda mais a atractividade do espaço que, este ano, regista já mais 1100 visitas do que em período homónimo de 2016, ultrapassando as 1200 entradas de estrangeiros e as 1300 visitas escolares.


O 10.º aniversário do Núcleo Museológico do Sal comemora-se até 27 de agosto com diversas actividades, destacando-se o dia 17, com entrada livre; a Safra à Moda Antiga, a 19, com a participação do Grupo " Cantares do Meu Canto"– CRCC Carvalhais, durante a safra à moda antiga e o Rancho Folclórico "As Salineiras de Lavos", actuação durante a tarde; o Sunset Salicórnia Gin, com a animação do Dj Banana, a 20 de Agosto; e o segundo Open Day de Salina & Mar, Saúde e Bem-Estar, a 27 de Agosto.




Toda a programação pode ser consultada aqui:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Copyright © fozaominuto