Anuncio

Anuncio

1 de junho de 2017

Alerta para procedimento criminal conhecido por "SEXTORTION"


Fotografia de Lawfare.com



A Polícia Judiciária informa e alerta para o aumento significativo de queixas por crimes de devassa da vida privada e extorsão associados ao uso das redes sociais na Internet.

Estas situações, policialmente denominadas como "Sextortion", ocorrem quando os utilizadores, adultos ou menores, aceitam numa rede social partilhar comunicações vídeo com exposição íntima e do foro sexual.

Ao fazê-lo, as pessoas envolvidas e que se acabaram de expor, passam a ser vítimas do crime de extorsão, porquanto lhe são solicitados pagamentos de montantes elevados para que os vídeos ou imagens acabadas de obter, por parte dos criminosos, não sejam divulgadas na Internet ou partilhadas pelos "amigos" da rede social.

Este tipo de criminalidade de caráter transnacional tem um efeito erosivo sobre a confiança dos cidadãos nas estruturas da rede INTERNET e um efeito psicológico altamente devastador sobre as vítimas.

A Polícia Judiciária alerta e apela para:
  • Que o uso das redes sociais não envolva a exposição íntima e sexual dos seus utilizadores; 
  • Que a postura que os utilizadores adotam perante uma webcam seja prudente e não possa vir a ter consequências de devassa grave da vida pessoal e profissional, bem como de vitimização em termos de extorsão e de humilhação; 
  • Que o uso destas novas formas de comunicação tem idade mínima para a sua adesão e que os menores devem ser avisados das consequências do seu mau uso.
A Polícia Judiciária prossegue as investigações, no sentido de apurar a natureza e a extensão das conexões criminosas destes grupos, continuando a acompanhar casos concretos de fenómenos criminais semelhantes, relativos à prática, instigação, reivindicação ou apologia destes tipos de crimes.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Copyright © fozaominuto