Bem-Vindo à Foz ao Minuto, líder de audiências na Figueira da Foz

publicidade.fozaominuto@gmail.com

publicidade.fozaominuto@gmail.com
A melhor forma de anunciar no século XXI

FotografiaLDA

26 de fevereiro de 2018

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho aposta e incentiva à Reabilitação Urbana



MONTEMOR-O-VELHO


No dia 24 de Fevereiro decorreu, na BMAD – Biblioteca Municipal Afonso Duarte, em Montemor-o-Velho, a apresentação das duas primeiras Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) que vão abranger a vila de Montemor-o-Velho, a sua frente ribeirinha e o lugar do Casal Novo do Rio.

Na participada sessão aberta à população, o presidente da Câmara Municipal, Emílio Torrão, acompanhado do vereador Décio Matias, recordou o início do processo que promete transformar por completo a sede de concelho e sublinhou: “Lutei contra tudo e contra todos para poder ter estas ARU´s. Quando as iniciei não havia financiamento e, inicialmente, para conseguir estes projectos, foi preciso uma grande tenacidade e capacidade de negociação”.
“Este processo já deveria ter ocorrido há mais de uma década. Em três anos, estamos a conseguir preparar em tempo record estas áreas de reabilitação e revitalização do território”, asseverou.
Ao avançar que “a documentação apresentada na sessão vai ficar disponível no site do Município, de modo a que se possam ir esclarecendo algumas dúvidas”, Emílio Torrão reiterou que “os Serviços estão disponíveis para ajudar” e fez questão de lançar um desafio à mais de meia centena de participantes da sessão: “Os principais beneficiários ainda não despertaram para as potencialidades do que estamos a colocar à vossa disposição. Quero que me ajudem a divulgar estes projectos e que possam usufruir dos benefícios que conquistei para vocês”.
“Temos um espaço magnífico com uma paisagem deslumbrante, ideal não só para jovens, mas também para as famílias e para aqueles que procuram um lugar cheio de encanto para apreciar e desfrutar da sua merecida reforma”, fundamentou.
No momento, Patrícia Mendes, chefe da Divisão de Planeamento e Gestão Territorial (DPGT) apresentou os principais benefícios fiscais e lembrou que, actualmente, no âmbito da reabilitação urbana, “já existem benefícios atribuídos pelo Município, nomeadamente, a possibilidade de isentar IMI durante cinco anos, ou aplicar uma redução de 30% ou 20%”.
“A par das intervenções previstas no espaço público, se tiverem projetos privados que contribuam para o reforço da estratégia municipal, façam-nos chegar esses elementos para que possamos ajudar”, reforçou.
De igual modo, Susana Loureiro, consultora da Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI), empresa responsável pela elaboração e levantamento das áreas de reabilitação urbana apresentadas, destacou “as características únicas do território em causa, com um rico património arquitectónico e natural contíguos”. Ao elogiar “a aposta na reabilitação urbana”, apontou o estado de degradação do edificado e do espaço público, talvez por causa do pouco uso, a população envelhecida e a baixa densidade populacional como os principais desafios a superar.
Após a apresentação das ARU e no decorrer do período de debate e esclarecimentos técnicos, o presidente da Câmara Municipal, Emílio Torrão, fez questão de desvendar alguns dos projetos que estão em desenvolvimento para a sede do concelho e frisou: “Estamos a trabalhar na construção de um projeto global sustentado que vai dar o destaque que a Vila e o concelho merecem. Esta é a oportunidade de excelência para Montemor-o-Velho ter mais vida”.
Em breve, vai ser disponibilizado um espaço no site do Município para o envio de contributos e sugestões, sendo que o processo terá que estar concluído até Junho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Principais destaques da semana

Anuncie AQUI

Copyright © Foz ao Minuto