Pedro Machado (PSD) apresentou programa "para governar futuro da Figueira da Foz"


Pedro Machado apresentou o seu programa eleitoral para a Figueira do Futuro, mostrando o resultado de sete conferências e dezenas de visitas realizadas por todo o concelho desde março. Miguel Poiares Maduro, coordenador do trabalho, frisou a enorme vontade de mudar o rumo de estagnação da cidade e das freguesias, elogiando a forma como Pedro Machado enfrentou este desafio, promovendo o debate e o diálogo com os figueirenses.

Já o candidato, mostrou ao que vem, resumindo em dez eixos estratégicos e oito medidas emblemáticas o seu programa que conta com 139 medidas concretas e concretizáveis a partir de 26 de setembro.

Os dez eixos resumem-se da seguinte forma:

- Economia. Estratégia económica inovadora partindo e potenciado as atividades-chave atuais, nomeadamente os clusters Indústria e Turismo.

- Cultura, Educação e Saúde. Identificação das prioridades relacionadas com as atividades Culturais, e os investimentos necessários em Educação e Saúde.

- Território e Sociedade. Estratégia de ordenamento do território e de desenvolvimento demográfico e do capital social na Figueira da Foz.

- Ambiente e Sustentabilidade. Políticas e ações dirigidas à sustentabilidade ambiental e à resposta necessária aos desafios decorrentes das alterações climáticas.

- Qualidade de Vida. Melhoria da qualidade de vida dos residentes em diferentes dimensões e promoção da atratividade da Figueira enquanto destino de vida para mais pessoas.

- Competitividade e Investimento. Estratégia de captação de investimento para atividades económicas enquadradas com a estratégia de futuro da Figueira.

- Tecnologia Digital. Estratégia smart city da Figueira e a alavancagem da tecnologia, inteligência artificial e da transformação digital para promover melhores serviços aos figueirenses e melhores políticas públicas para a cidade.

- Novas Competências Municipais. Promover novas intervenções municipais ao abrigo das novas competências municipais, em particular no que potencie a estratégia de futuro da Figueira.

- Mar. Retomar e potenciar a relação privilegiada com o mar, desde a devolução das praias à população até à melhoria das condições do porto e a plena utilização das zonas ribeirinhas.

- Demografia. Estratégia de combate ao êxodo populacional e desenvolvimento de um plano multissetorial que contribua para inverter este ciclo desde a melhoria das condições de vida e oferta de emprego na cidade, à sua atratividade para os novos tipos de cidadania e trabalhadores “de mobilidade” (dos nómadas digitais aos trabalhadores remotos).


Já quanto às medidas prioritárias e resumem-se da seguinte forma:

1. Retomar e Reforçar a Relação com o Mar e os Espaços Verdes.

Criar um Plano Estratégico de Desenvolvimento e de Recuperação da Praia da Claridade, a partir da construção do Bypass, e do seu aproveitamento enquanto estrutura para espaços comerciais, como esplanadas e cafés, e para usufruto da praia.

Lançar, nos primeiros 100 dias do mandato, um concurso de ideias para preparar a cidade e a praia para o Bypass e para o aproveitamento do molhe norte, de forma a que as novas infraestruturas e a reorganização do espaço daí decorrentes venham a ser plenamente usufruídas pela população.

Recuperar a frente ribeirinha norte, devolvendo-a à cidade, e transformando a frente numa área verde e de usufruto social e de lazer.

Construir a frente ribeirinha sul, transformando esta janela sobre a Figueira da Foz na Aldeia Olímpica de Desportos de Mar, aproveitando o Surf e as Águas Abertas.

Estabelecer de uma ligação entre estas duas frentes ribeirinhas.

Reformular o Parque das Abadias, expandindo-o para Norte e recuperar as suas valências históricas, tais como as exibições de cinema ao ar livre, ou o aproveitamento do espaço para usufruto recreativo.

Ser a sede portuguesa do Bauhaus of The Seas, um projeto europeu de investigação, com o objetivo de olhar o Mar e a sua proteção para o futuro.


2. Figueira, Cidade Criativa Cultural do Cinema e da Literatura.
Elaborar o plano estratégico e adoção de incentivos fiscais e financeiros para atração de investimento no cinema e literatura, nomeadamente através da rodagem de filmes e séries na Figueira.

Criar o Museu do Cinema, como âncora identitária desta valência do concelho, tendo como ponto de partida o espólio de 7 000 filmes doados, assim como uma Biblioteca de Cinema.

Retomar e valorizar o Festival de Cinema (nomeadamente, alavancando-o através da sua relação com a literatura com recurso a diferentes autores literários com ligação à Figueira, enquanto curadores temáticos).

Criar um programa de verão de exibição de filmes ao ar livre em diferentes recantos inesperados da cidade.

Reformular a Feira do Livro, colocando-a no Parque das Abadias.

Criar a Academia de Cinema da Figueira da Foz, infraestrutura de apoio a toda a indústria (realização, caraterização, fotografia, escola de atores, etc.) onde seja possível albergar equipas nacionais e internacionais, e apostar em formação na área de cinema.

3. Promover a Recuperação e Crescimento Económico e Social da Cidade.

Criar um Plano de Recuperação para o Comércio Local e para a Hotelaria, no valor de 2 Milhões de Euros, a lançar ainda no decorrer de 2021.

Deslocalizar o Porto Comercial para a margem sul do rio Mondego, diminuindo a pegada ecológica na Ponte Edgar Cardoso, e aproximando-o das grandes empresas a sul do concelho.

Alargar a Área de Localização Empresarial de S. Pedro / Lavos, e abrir 3 novas áreas: no Pincho, em Ferreira-a-Nova e na Marinha das Ondas / Paião.

Negociar, de imediato, com a empresa Águas da Figueira, a diminuição do Preço da Tarifa da Água e consequentemente das restantes taxas.

Baixar o Imposto Municipal sobre Imóveis.

Olhar as freguesias de Buarcos e São Julião, Tavarede, Vila Verde e São Pedro como sendo freguesias da Cidade da Figueira da Foz, estabelecendo pontos de contacto entre todas e dotando-as de serviços básicos citadinos, salvaguardando a identidade de cada uma.

Criar um Centro de Formação Profissional em conjunto com a ACIFF para qualificar e requalificar permanentemente os trabalhadores do comércio e indústria, dotando-os de formação adequada e atualizada aos novos tempos e profissões.

4. Promoção da Qualidade de Vida e Respostas à Emergência Ambiental.

Criar um Sistema de Mobilidade Urbana, os chamados transportes públicos, que será gratuito para os residentes, e que interligue, de forma clara todas as 14 freguesias do concelho.

Intervir, de imediato, no estancar da erosão costeira a sul do Concelho, protegendo as casas e as vidas humanas que hoje estão, efetivamente, em risco.

Recuperar o Hospital Distrital da Figueira da Foz, dotando-o de melhores condições para ter novas valências e reabrir a Maternidade.

5. Criar o EduLab, uma unidade de apoio do município às escolas do concelho, promovendo um conjunto de iniciativas assentes em 4 vértices de apoio e complementaridade das escolas.

Desenvolver projetos e programas, nacionais e internacionais, inovadores e que apoiem experiências educativas inovadoras, por exemplo, Erasmus +, Action for Hapiness, entre outros.

Criar e mobilizar uma rede que ponha em contacto e tire partido dos diferentes recursos das escolas, do Município e da comunidade.

Promover um apoio específico a crianças com necessidades educativas especiais ou carenciadas financeiramente.

Promover a ligação entre as escolas e a comunidade em que se inserem, nomeadamente as empresas.


6. Nova Política de Licenciamento

Criar um projeto piloto com recurso à Inteligência Artificial nos processos de licenciamento, acelerando e simplificando os processos de forma exponencial.

Criar o Licenciamento Via Verde para Projetos de Investimento, garantido a sua prioridade, com tempo de aprovação de 30 dias.


7. Digitalização completa de todos os serviços e processos de decisão municipais no prazo de um ano

Dotar o Município de sistemas modernos de gestão documental e interface com os munícipes e com as empresas.

8. Programa: Eu Escolho a Figueira.

Dotar o Município das condições necessárias para a fixação de jovens nas 14 freguesias, nomeadamente, através de programas municipais de apoio ao arrendamento, de apoio à contratação de jovens e de apoio ao empreendedorismo.

Colocar a Figueira no Top 5 dos melhores destinos para nómadas digitais nos rankings Digital Nomad Index e Nomad List. Fazer uma aposta clara na afirmação da Figueira da Foz como destino de eleição para os novos tipos de profissionais, dotando o município das condições necessárias, nomeadamente, e entre outras, uma boa e rápida cobertura de internet, espaços de trabalho cowork atrativos e flexíveis e boas acessibilidades e mobilidade dentro do concelho.

Enviar um comentário

0 Comentários