Programa «Figueira Vale +» alargado a IPSS’s que prestam apoio em géneros alimentares

 



«O momento extraordinário que vivemos, associado ao surto pandémico COVID-19 e às medidas de restrição deste decorrentes, continuam a ter implicações negativas em diversos setores da economia, verificando-se quebras significativas na atividade e faturação de várias empresas e, concomitantemente, perda de rendimentos dos agregados familiares, e aumento do número de desempregados»informa o Município através de nota de imprensa.


«Considerando que um dos principais objetivos« do programa «Figueira Vale Mais» é apoiar os munícipes que, devido aos efeitos da pandemia da COVID-19, se encontram numa situação emergente de insuficiência económica e vulnerabilidade social; que há um aumento cada vez mais significativo de famílias a solicitar apoio alimentar junto das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) concelhias e que os géneros alimentares atribuídos pelas instituições, provêm, na sua maioria, de donativos das grandes superfícies comerciais (cada vez mais escassos face ao aumento expressivo de pedidos de apoio), o executivo municipal aprovou em reunião de Câmara de 09 de dezembro de 2020 o alargamento do âmbito do «Figueira Vale +», às IPSS’s com sede na Figueira da Foz, que prestam apoio em géneros alimentares às famílias em situação de carência económica, desde que os mesmos não provenham de programas ou projetos financiados. São três as instituições que irão ser alvo de apoio: a Associação Viver em Alegria; o CASA - Centro de Apoio ao Sem Abrigo e a Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação da Figueira da Foz. Este apoio traduz-se na atribuição de 10.000€ (dez mil euros) em vales, que serão atribuídos em proporção do número de beneficiários apoiados em géneros alimentares, pelas três instituições concelhias. Lembramos que o Programa «Figueira Vale +», aprovado por unanimidade na reunião de Câmara de 04 de maio de 2020, continua a ter como objetivo principal apoiar munícipes em situação de carência económica e fragilidade social, através de um sistema de vales destinados à aquisição de bens de primeira necessidade, em estabelecimentos do comércio local, num montante total de 50€ por mês para cada elemento do agregado» acrescenta ainda a mesma nota.

Enviar um comentário

0 Comentários