Requalificação do estrato arbóreo da rua Afonso Albuquerque



O Município da Figueira da Foz procedeu a um estudo de identificação das espécies e respetivo estado fitossanitário da zona mais antiga da cidade, incluindo a rua Afonso de Albuquerque, a qual irá ser alvo de intervenção, já partir de amanhã e pelo período de 90 dias 

«O estudo incluiu também a identificação de riscos, a adaptabilidade da árvore ao local onde se situa com a identificação dos eventuais constrangimentos na envolvente, bem como a definição de uma escala de prioridades quanto às eventuais intervenções em cada árvore. A empreitada, com um custo de 31.522,96€ + IVA, encontra-se a cargo da Predigandaresa Sociedade de Construção, Lda. A totalidade da rua Afonso de Albuquerque possui 95 caldeiras distribuídas de forma similar, repartidas por 12 espécies diferentes, sendo a Acer negundo (Acer- negundo) a mais representativa (50% da totalidade da rua). Considerando o perfil da rua e tendo por base o levantamento efetuado, irão manter-se 45 exemplares de espécies diversas, por não se encontrar factos relevantes para a sua substituição, contudo, algumas destas espécie irão continuar a requerer monotorização a nível das suas condições fitossanitárias. Serão abatidas 45 árvores que serão substituídas por Prunus serrulata “kanzan”, vulgarmente designada por cerejeira de jardim. Serão efetuados também trabalhos de reparação das caldeiras, com melhoria das condições do solo e reposição de pavimento que se encontra deteriorado. Serão encerradas 15 caldeiras devido a conflitos com sinalização, fachadas de prédios e acessos a garagens. Os trabalhos prevêem ainda a resolução das irregularidades do passeio, em termos de falhas na pavimentação com desenho igual ao existente» informa o Município através de comunicado.

Publicar um comentário

0 Comentários