Padre Carlos Godinho assume 7 comunidades cristãs no Arciprestado do Baixo Mondego

 


Por Aldo Aveiro



O Padre Carlos Godinho assume o múnus sacerdotal e pastoral em sete paróquias no Coração e Margens do Mondego, na celebração da Eucaristia do próximo domingo, 11 de Outubro, pelas 16h00, no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Velho, substituindo o Padre José António Pais. Por decreto do Bispo Diocesano, de 28 de Julho de 2020, D. Virgílio Antunes nomeou o padre Carlos Alberto da Graça Godinho como pároco de sete comunidades no Coração do Arciprestado do Baixo Mondego, nas Margens do Mondego: Abrunheira, Carapinheira, Ereira (Reitoria), Montemor-o- Velho, Reveles, Verride e Vila Nova da Barca, destacadas pela cor verde no mapa do Arciprestado. 

O Padre Carlos Alberto da Graça Godinho, natural de Águas Belas, concelho de Ferreira do Zêzere, nasceu a 20 de Dezembro de 1965. Foi ordenado de presbítero a 22 de Dezembro de 1991, pelo Bispo D. João Alves, na Sé Nova, tendo exercido o múnus pastoral em diferentes comunidades, nomeadamente em Casal Comba (5 anos), em Trezói (7 anos), na Mealhada (7 meses, como pároco interino) e ultimamente no Luso (quase 21 anos) e Pampilhosa (13 anos). Além do Serviço Pastoral Paroquial, é também professor de História do Cristianismo II na Escola de Teologia e Ministérios da Diocese de Coimbra, Investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra – FLUC, Director da Obra Nacional da Pastoral do Turismo e Presidente da Comissão Diocesana de Pastoral do Turismo da Diocese de Coimbra. 

O presbítero é licenciado em Teologia, pela Universidade Católica Portuguesa – Pólo Regional do Porto, é igualmente licenciado em História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Mestre em História Moderna pela mesma Universidade, frequenta actualmente, na mesma Faculdade, o curso de Doutoramento em História Moderna.




Publicar um comentário

0 Comentários