São João com programa que estabeleceu um “compromisso entre festa e segurança”





Este ano, devido ao contexto de pandemia, à imperiosa necessidade de ser mantido o distanciamento e no estrito cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS), o programa das Festas da Cidade foi ajustado à atual realidade. Na noite de 23 de junho e na tarde de 24 de junho, o Duo SanPedro garantiu a animação musical. Fazendo-se deslocar num palco móvel, o Duo percorreu várias artérias da cidade e da vila de Buarcos, brindando o público com Marchas originais das Coletividades do concelho que habitualmente participam nas Marchas Populares e músicas alusivas aos Santos Populares. 

O tradicional espetáculo pirotécnico, que durou cerca de seis minutos, foi lançado em simultâneo em seis praias do concelho - Leirosa, Costa de Lavos, Cova Gala, Claridade, Buarcos e Quiaios, a uma altitude maior que a habitual (os rebentamentos mais baixos forma efetuados aos 60 metros e os mais altos a 120 metros), por forma a que pudesse ser visto a maior distância, evitando assim aglomerações. Já a sessão solene de entrega de distinções honoríficas, decorreu, como é hábito, no dia feriado, 24 de junho, no Centro de Artes e Espectáculos, num "contexto tão peculiar como inaugural", sublinhou o presidente da Câmara, Carlos Monteiro. O edil, fez-se acompanhar, na mesa de honra, por José Duarte (presidente da Assembleia Municipal) e José Brito (vice-presidente da CIM-Coimbra). Na plateia, de uma cerimónia que foi restrita, destaca-se a presença de alguns presidentes de Junta, dos figueirenses e representantes das entidades distinguidas e da presidente da CCDR-Centro. Carlos Monteiro referiu ter sido esta “a fórmula encontrada para estabelecer um compromisso entre festa e segurança", pois "deixar de comemorar o feriado municipal, deixar de homenagear alguns dos muitos ilustres figueirenses não foi uma opção", salientou. Para o edil foi assim possível manter a comemoração do “Dia maior da Cidade sem contribuir para a propagação desta pandemia” e “homenagear aqueles que contribuíram, de diversas maneiras, para engrandecer a nossa cidade, o nosso concelho”. Na sua intervenção, Carlos Monteiro falou de vários projetos e metas a atingir até final do atual mandato autárquico, no âmbito, nomeadamente, do emprego, património, saúde, ambiente, turismo, comércio, indústria, desporto e habitação. Alguns dos projetos em curso ou em vias de lançamento resultam de parcerias com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) e contam com financiamento comunitário: a ciclovia Eurovelo e a ciclovia Figueira, Cantanhede, Mealhada o concurso dos transportes públicos que “tem como objetivo melhorar a mobilidade na região e no concelho da Figueira da Foz, em particular”; “a remoção de jacintos do Rio Mondego e a colocação de câmaras de videovigilância na Serra da Boa Viagem, para prevenção dos incêndios. Carlos Monteiro sublinhou que “é nosso desígnio reforçar o concelho da Figueira enquanto destino turístico de qualidade, porque a «Figueira tem tudo em segurança e todo o ano!» e que pretende um concelho mais verde, razão pela qual irão ser iniciadas as intervenções no futuro Parque Urbano, com a supervisão do professor Sidónio Pardal. Uma grande parte dos projetos e obras do município, a concretizar a curto/ médio prazo, terão como foco as freguesias. Nesse sentido Carlos Monteiro referenciou alguns dos projetos considerados estruturantes, em diversas áreas: a candidatura para alargamento da zona industrial a sul; a melhoria das estruturas de saúde existentes; a aquisição de uma unidade móvel de saúde, que irá garantir um serviço descentralizado; a extensão a todas as freguesias do Planos Estratégicos de Desenvolvimento Estratégicos Urbanos; a valorização dos espaços públicos das freguesias mais rurais, viabilizado a construção de mais passeios em todo o concelho; a segunda fase dos planos de requalificação do Cabedelo e de Buarcos, que irão iniciar-se a curto prazo; a colocação de passadiços na Lagoa da Vela, já em curso; a requalificação dos passadiços da praia da Murtinheira e Quiaios vão ser requalificados, assim como da praia da Costa de Lavos; o alargamento a todo o concelho, em 2021, do sistema de iluminação pública inteligente, caracterizado pela utilização de luminárias led com telegestão e comunicação com o sistema de telemetria dos contadores de água; a construção do nó de acesso da A14 à empresa Verallia para libertar a M600 do trânsito pesado – já com projeto concluído; a construção da rotunda do Galo D`Ouro e também a ligação ao norte do concelho pelo «Enforca Cães», que se prevê iniciar este ano. No que respeita à habitação, o autarca enfatizou que não “terminaremos o mandato sem definir uma estratégia local de habitação para o concelho. Queremos promover a oferta de soluções habitacionais adequadas e atrativas para os diversos níveis de rendimento, composição e estilos de vida dos agregados familiares, incluindo para aqueles que têm necessidades especiais e que requerem integração coerente de respostas e políticas sectoriais. Esta medida requer a mobilização extraordinária de recursos da rede social do concelho, do município e do Estado”. Carlos Monteiro mostrou-se consciente de que todo este trabalho “só será possível com o envolvimento de todos” e que para isso conta “com todos para a melhoria da qualidade de vida dos figueirenses”.

Publicar um comentário

0 Comentários