Câmara de Montemor-o-Velho aprova moção de protesto por encerramento da EB1 do Casal Novo (freguesia Meãs do Campo)





O executivo Montemorense aprovou por unanimidade na última Reunião de Câmara, realizada a 29 de julho, uma moção que tem como objetivo manifestar à Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) o seu “mais veemente repúdio" pelo encerramento da escola do 1º Ciclo do Ensino Básico do Casal Novo e pela forma de atuação e gestão da DGEstE. A proposta foi apresentada pelo Presidente da Câmara, Emílio Torrão, e mereceu o apoio de toda a vereação. Em causa estão “as sistemáticas abordagens sobre o encerramento da Escola do Casal Novo, na freguesia de Meãs do Campo,” decisão da DGEstE que o executivo Montemorense “absoluta e radicalmente” rejeita. Emílio Torrão recordou ainda que, “em sede de Conselho Municipal da Educação”, votou contra o encerramento da escola, tendo feito declaração de voto, onde sublinhou que “está a ser feito um grande investimento na extensão do Jardim de Infância, pelo que a autarquia não pode deixar de ficar apreensiva com o encerramento desta escola”. O edil ressalvou ainda que “a escola que acolherá estas crianças necessita ser intervencionada, sendo que, uma vez mais, o ónus vai recair sobre a Autarquia de Montemor-o-Velho”. O Presidente da Câmara considera "ostensivamente provocatório ao poder autárquico e à autonomia do poder local que a DGEstE decida encerrar escolas e que posteriormente solicite o conforto da Câmara Municipal". Também a bancada da coligação PSD/CDS-PP foi unânime em manifestar o seu desagrado e protesto por esta situação. Neste sentido, a Câmara Municipal deliberou manifestar o seu mais veemente repúdio por esta forma de atuação e de gestão, questionando a DGEstE sobre a insistência para que a autarquia ratifique uma decisão já previamente tomada, bem como dar conhecimento desta posição à DGEstE, à Junta de Freguesia de Meãs do Campo e ao Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Velho.

Publicar um comentário

0 Comentários