Crónica de Tiago Ferreira: «A caminho da reta final»




Crónica da autoria de Tiago Ferreira

A caminho da reta final



Faltando, aproximadamente, quatro meses para as eleições legislativas é mais do que evidente, para o senso comum, que o Partido Socialista irá ganhar esse ato eleitoral. Apesar de ninguém colocar em causa essa vitória, existem algumas questões que se devem colocar.

Em primeiro lugar, é relevante saber que tipo de vitória terá o PS: maioria absoluta ou maioria relativa. É impossível avançar com um prognóstico. Se o número de votantes, se mantiver igual ao das eleições europeias, podemos ter um PS com uma maioria absoluta na casa do 35%/36% dos votos, o que de resto seria uma anormalidade na vida política portuguesa. Para se ter uma noção o PPD/PSD em 1987, sob a liderança de Cavaco Silva, alcançou a sua primeira maioria absoluta tendo 50% dos votos. Obviamente que tudo dependerá da taxa de abstenção. Mas uma coisa é certa, nunca foi tão fácil ter uma maioria absoluta!!!

Por outro lado, uma maioria relativa, por diversas razões, seria o resultado menos desejado pelos socialistas. Primeiro, porque iria obrigar à manutenção de diálogo com as forças parlamentares à esquerda ou à direita. Segundo porque teria que ceder em matérias nevrálgicas da governação, como por exemplo: orçamentos de estado. Outra questão inquietante poderia passar por uma Geringonça II. Dentro dos partidos que fizeram parte da atual solução política, aquele que tem mais interesse em manter e até mesmo fazer parte de um Governo é o Bloco de Esquerda. 

Basta ver muitas das declarações de Catarina Martins e Mariana Mortágua para se verificar que os bloquistas estão sedentos por integrar um executivo. E quem sabe se o PAN não será o substituto do PCP nesta nova Geringonça. Obviamente que todos os prognósticos podem ser ultrapassados pelo resultado eleitoral de outubro. 



Todas as crónicas escritas neste espaço são da inteira responsabilidade do seu autor, assim como as ideias e pensamentos adjacentes da mesma.


Publicar um comentário

0 Comentários