Bem-Vindo à Foz ao Minuto, líder de audiências na Figueira da Foz

publicidade.fozaominuto@gmail.com

publicidade.fozaominuto@gmail.com
A melhor forma de anunciar no século XXI

7 de março de 2019

Futuro da agricultura em destaque no XIII Seminário da Cooperativa de Montemor



“Gostaria de ver a Economia Circular a funcionar, com os nossos agricultores a terem um rendimento extra com o aproveitamento dos subprodutos decorrentes da sua atividade. 


Na agricultura ainda há muito para fazer e muitas oportunidades de negócio”. O desafio partiu do presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão, na abertura do XIII Seminário da Cooperativa Agrícola do Concelho de Montemor-o-Velho – “Enquadramento da PAC pós 2020 – Campanha 2019”, na Quinta do Taipal, em Montemor-o-Velho, no dia 7 de março. Com palavras de incentivo, o edil montemorense expressou o seu orgulho nos agricultores do concelho que “passaram a ser grandes produtores que levam muito a sério a sua atividade” e reforçou: “A riqueza de Montemor-o-Velho também está em vocês, obrigado pelo vosso exemplo”. Na ocasião, Emílio Torrão alertou ainda para as possíveis mudanças na atividade agrícola provocadas pelas alterações climáticas, para importância da produção integrada, por forma a dar resposta às exigências dos consumidores, assim como agradeceu à cooperativa montemorense por estar “a dar ferramentas aos agricultores do concelho e da região para serem os melhores”. De igual modo, José Armindo, presidente da Cooperativa Agrícola do Concelho de Montemor-o-Velho (CACMV), ao aludir aos efeitos provocados pela tempestade Leslie, referiu: “É importante os agricultores fazerem seguros de colheitas. A agricultura é quem mais vai sofrer com as alterações climáticas”. “A chuva vai cair em maiores quantidades em períodos mais curtos e, por isso, temos que criar reservas, com a criação de mais barragens”, apelou. Ao fazer uma referência à conclusão das obras de Aproveitamento Hidroagrícola do Baixo Mondego, o dirigente reiterou a necessidade da abertura de uma linha de crédito para preparação de candidaturas para os projetos de emparcelamento em falta, todavia deixou uma novidade: “Temos um projeto para secagem e armazenagem de milho e cujo equipamento deve estar pronto no próximo ano”. Presente na sessão de abertura, o diretor da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAPC), Fernando Alves Martins, saudou a CACMV pela organização de uma iniciativa com “temas pertinentes e oportunos” e sublinhou. “Promover a sustentabilidade ambiental e a competitividade da agricultura é um dos maiores desafios atuais”. Assim, ao defender a necessidade de produzir mais e ao referir que “a agricultura é a base de toda a sociedade”, o governante reforçou a importância da alteração do paradigma de produção, nomeadamente com a aposta numa agricultura de precisão e na utilização de processos ecológicos. A “Apresentação do ensaio de bio estimulantes e os resultados dos ensaios de variedades de arroz 2018 do Bico da Barca”, por António Jordão, DRAPC; “Nova Soluções na cultura do arroz”, por Gonçalo Canha, Lusosem; “Novos Produtos, novas soluções”, por Paula Rodrigues”, ADP; “Fisiologia do milho e análise da cutura por satélite”, por Vasco Salgueiro, Pionner; “Nova PAC pós-2020”, por David Jorge, Confagri; “Seguros de Colheitas”, por Sofia Duarte, Fidelidade; “Pagamentos diretos, regime de pagamentos Base e ‘Greening’, medidas agroambientais”, por David Jorge, Confagri, foram os temas que estiveram em destaque na 13ª edição do Seminário da Cooperativa Agrícola do Concelho de Montemor-o-Velho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Direitos de autor

Todo o conteúdo deste site encontra-se protegido por direitos de autor. Não é autorizada a cópia permanente, no todo ou parte, e por qualquer forma, do conteúdo deste site, nem a colocação de links para este site em outros sites, sem o consentimento prévio escrito da Foz ao Minuto.

O utilizador não está autorizado a transmitir, distribuir, publicar, modificar, vender ou utilizar por qualquer forma a informação, incluindo imagens, contida neste site.

A prática de plágio é considerada crime, segundo a lei portuguesa.

A Foz ao Minuto encontra-se registada na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) com o número de registo 126961, e encontra-se apta para as suas funções.


Copyright © Foz ao Minuto