Foram detidas doze pessoas suspeitas da autoria do crime de tráfico de estupefacientes na Região Centro



A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Centro, desencadeou nos últimos dias duas ações operacionais, no âmbito do combate ao tráfico de estupefacientes, na cidade de Coimbra.

«Assim, no passado dia 15 de novembro, no desenrolar da operação “Mão Aberta”, foram detidos cinco indivíduos, com mandados de detenção emitidos pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra (DIAP), com idades compreendidas entre os 46 e os 52 anos.



Tendo sido presentes às autoridades judiciárias foi aplicada, a dois deles, a medida de coação de prisão preventiva, ficando os restantes sujeitos à obrigação de se apresentarem periodicamente às autoridades. Estas detenções representam o culminar de uma investigação iniciada em junho de 2017 e que já levou à detenção de outros treze indivíduos, a doze dos quais foi aplicada em abril a medida de coação de prisão preventiva.

No dia 20, foi desencadeada a operação “Craxis”, mediante o cumprimento de sete mandados de detenção emitidos pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Coimbra (DIAP) e a realização de treze buscas domiciliárias. Esta ação envolveu cerca de meia centena de operacionais da Diretoria do Centro, do Departamento de Investigação Criminal de Aveiro da Polícia Judiciária e do Laboratório de Polícia Científica. e visou interromper a atividade ilícita desenvolvida por uma organização criminosa dedicada ao tráfico de cocaína solidificada em cristais, vulgo “crack”.

Para além destas sete detenções, no decurso da investigação, foram apreendidos, entre outros artigos, cerca de 3800 doses individuais de cocaína, 40 doses individuais de haxixe, 12 300 euros em numerário, 1 veículo automóvel e 2 balanças de precisão. Os sete detidos, com idades compreendidas entre 20 e os 50 anos, alguns com antecedentes criminais, vão ser presentes às autoridades judiciárias para aplicação das medidas de coação adequadas» segundo revela nota de imprensa divulgada pela Policia Judiciária.

Publicar um comentário

0 Comentários