16 de setembro de 2017

União de Sindicatos da Figueira da Foz preocupada com atrasos no pagamento nos Estaleiros Navais do Mondego

 
 
 
SOCIAL
A direcção da União de Sindicatos da Figueira da Foz (USFF) que reuniu-se ontem para analisar a situação sócio-laboral no concelho e deliberou sobre as orientações para o próximo ano.
Efectuou balanço do trabalho de um ano desde a sua eleição e ractificou o que estava aprovado desde o inicio do mandato, a passagem da coordenação de António Baião, para o novo coordenador Paulo Ferreira, dirigente do SITE/CN e trabalhador da Plasfil.
Na sua reflexão a direcção da USFF realçou o desenvolvimento da atividade sindical, destacando os resultados em defesa dos direitos dos trabalhadores nas empresas: Navigator (ex-Soporcel), Plasfil, Estaleiros Navais, Verália (ex-Vidreira do Modego), Ellis, Cofisa, Luisaves, bem como nos setores de comércio, serviços de alimentação e restauração.
Foram levantadas algumas preocupações, nomeadamente, as dificuldades por que estão a passar os Estaleiros Navais do Mondego, actual Atlantic Eagle, com atrasos no pagamento dos vencimentos.
 
Também mereceram a atenção na reunião as inúmeras situações de precariedade em alguns sectores acima referidos, que se acentuaram com a abertura das novas médias superfícies e a época sazonal, onde os baixos salários e os elevados ritmos de trabalho foram uma constante.
No âmbito do Setor Público do Estado e do Setor da Administração Local, foram analisadas as implicações nefastas, provocadas pela falta de efetivos no quadro de pessoal de diversos Serviços Públicos, destacando as escolas (docentes e não docentes) e o resultado negativo para a diminuição da qualidade dos serviços prestados á população, na Administração Local a não divulgação dos resultados da Avaliação do Desempenho do biénio 2015-2016 por parte da autarquia, que coloca em causa a melhoria da retribuição dos trabalhadores da Câmara e Juntas de Freguesia, pelo que estabelece o Orçamento Geral do Estado.
Foi também registado nesta reunião, que todos os sectores e empresas do concelho se preparam para a apresentação das propostas reivindicativas para o ano de 2018, que estão a ser discutidas com os trabalhadores, com o objectivo de vir a melhorar as condições de vida e de trabalho, assim como tornar mais justa a distribuição da riqueza produzida.
Por fim, a Direção da USFF decidiu para dar corpo á sua intervenção no interior das empresas e serviços, pela republicação do seu órgão informativo “O Farol Sindical”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Copyright © fozaominuto